Home / Agenda de Eventos / Notícias / Greca autoriza início das obras do trecho final da Linha Verde
Greca autoriza início das obras do trecho final da Linha Verde

Greca autoriza início das obras do trecho final da Linha Verde

CURITIBA – O prefeito Rafael Greca e o secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana, Inácio Bento de Morais Junior, assinaram nesta terça-feira (6/11), na Prefeitura, a autorização para o início das obras do lote 4.1 da Linha Verde. A autorização ocorreu em tempo recorde, já que a licitação foi homologada há uma semana e o contrato assinado na quinta-feira passada (1º/11), com a empresa Terpasul Construtora de Obras, vencedora da concorrência.

“Com celeridade e o apoio do Ministério das Cidades conseguimos assinar esta ordem de serviço em tempo recorde. Quero inaugurar a Linha Verde em 2020 com o apoio de vocês”, afirmou Greca. O prefeito destacou que logo após eleito foi a Brasília para garantir os recursos federais que estavam para ser perdidos.

“Com esforço, conseguimos resgatar recursos para mobilidade e drenagem que não foram aproveitados pelo meu antecessor”, disse o prefeito.

Segundo Greca, com a finalização, a Linha Verde irá se tornar um grande eixo metropolitano de mobilidade integrando do sul ao norte as cidades de Mandirituba, Fazenda Rio Grande, Curitiba, Colombo e Campina Grande do Sul.

Avanço

A assinatura da ordem de serviço foi destacada como um avanço para a cidade, pelo presidente da Câmara Municipal, Serginho do Posto. “São investimentos em mobilidade urbana para atender a uma demanda muito forte da cidade. Com isso, o prefeito tem avançado nas metas do plano de governo num curto espaço de tempo da gestão”, disse.

São 2,8 quilômetros de extensão do trecho final entre as estações Solar e Atuba, no norte da cidade. Serão investidos R$ 69.424.662,46, com recursos do Orçamento Geral da União (OGU), como parte do PAC-2. Os trabalhos devem começar logo que o canteiro de obras fique pronto, o que deve acontecer até o final do ano. A previsão de conclusão das obras é de dois anos.

Foto: Pedro Ribas/SMCS

Terminais

Na oportunidade, também foram assinadas as Sínteses de Projetos Aprovados (SPAs) dos terminais Hauer e Campina do Siqueira, que serão reconstruídos. Integrante do Ministério das Cidades (MCidades), a Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana (Semob) é o órgão responsável por formular e implementar a política de mobilidade urbana sustentável no país.

Inácio Bento de Morais Junior destacou que Curitiba representa o paradigma da mobilidade urbana no País. “A cidade vem nos ensinando o que tem que ser feito para a melhoria do transporte coletivo, que é uma necessidade das grandes cidades”, disse o secretário nacional do Transporte e da Mobilidade.

Segundo ele, a agilidade no processo de aprovação se deu pela qualidade dos projetos da capital paranaense. “Em vários estados há obras que se arrastam por conta de projetos incipientes. O Ministério das Cidades costuma premiar aqueles que executam bem as obras. Por isso, em Curitiba temos mais de 80% de recursos liberados pelo Ministério”, disse Morais Junior.

Ele destacou ainda o empenho do diretor da Semob, Cléver Ubiratan Teixeira de Almeida, funcionário de carreira do Ippuc e ex-presidente do instituto em favor de Curitiba. “Ele é um embaixador da cidade em Brasilia”.

O prefeito Greca também ressaltou a importância do Ministério das Cidades no suporte ao desenvolvimento urbano. “Estimo que o Ministério das Cidades tenha uma feliz sucessão no governo que se inicia. Não posso abdicar da minha função de prefeito ao defender a importância de uma política nacional de urbanização. As cidades brasileiras são o Brasil”, finalizou Greca.

Também participaram do evento, o diretor de Planejamento da Semob, Cléver Ubiratan Teixeira de Almeida; o superintendente da Caixa Econômica Federal no Paraná, Renato Scalabrin; o gerente de Filial da Caixa, Célio Américo e o gerente executivo da Caixa, Eduardo Pereira de Souza.

Por parte do município estiveram presentes o vice-prefeito e secretário de Obras, Eduardo Pimentel; o secretário municipal do Governo e presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Luiz Fernando Jamur; e os secretários municipais de Planejamento, Orçamento e Finanças, Vitor Puppi; do Meio Ambiente, Marilza Dias; da Comunicação, Israel Reinstein, da Saúde, Marcia Huçulak; e os presidentes da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto e da Cohab, José Lupion Neto. E os administradores das regionais da Matriz, Dirceu de Matos; CIC, Rafael Keiji Assahida; Boqueirão, Ricardo Dias; Pinheirinho, Reinaldo Boaron, Boa Vista, Janaína Lopes Gehr e Cajuru, Adriane Cristina dos Santos.

Representando o poder legislativo federal e municipal prestigiaram a assinatura da ordem de serviço deputado federal, Pedro Lupion, o presidente da Câmara Municipal, Serginho do Posto, e os vereadores Beto Moraes, Thiago Ferro, Edemar Colpani, Geovane Fernandes, Rogério Campos e Oscalino do Povo.

Finalização da Linha Verde

A Linha Verde é o sexto eixo de transporte da cidade e de integração de Curitiba à Região Metropolitana. São 22 quilômetros de extensão (pelo leito da BR-476) ligando a cidade do Sul ao Norte desde o Pinheirinho ao Atuba, beneficiando 22 bairros numa área de abrangência de 287 mil pessoas.

O trecho sul já está concluído e seis estações estão em operação com o ônibus Ligeirão (Pinheirinho, Vila São Pedro, Xaxim, Santa Bernadethe, Fanny e Marechal Floriano) na ligação ao Centro da cidade (Lourenço Pinto).

O trecho norte é a parte final de obras da Linha Verde. Estão em fase de conclusão as obras do lote 3.1, no trecho de 2,2 quilômetros desde o viaduto da Avenida Victor Ferreira do Amaral até o Rio Bacacheri, próximo ao Hospital Vita. Os investimentos são de R$ 56,1 milhões.

Também integra esta etapa o lote 3.2, de construção da trincheira da Rua Fúlvio Alice, próxima à Igreja Batista do Bacacheri. A obra está em execução, com investimentos de R$ 28,7 milhões. A previsão é que estes dois lotes de obras estejam concluídos em abril de 2019.

Ainda como parte da Linha Verde Norte, o projeto do lote 2.1 (Viaduto triplo da Victor Ferreira do Amaral) está na Caixa Econômica Federal para aprovação. (Fonte/SMCS)

(Foto Linha Verde: V. Lentcsh/Face da Notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Vá para o topo