Cotidiano

Mais de 245 mil famílias de Curitiba e Região já retiraram o kit gratuito distribuído pela Seja Digital

Publicado

em

Com a proximidade do desligamento do sinal analógico de TV, que acontecerá na região no dia 31 de janeiro, a população precisa correr para não perder a programação de TV

Esta semana, a Seja Digital atingiu o patamar de 248 mil kits gratuitos distribuídos na região de Curitiba. O kit é composto por antena digital e conversor com controle remoto, que permitem que televisores antigos tenham acesso ao sinal digital.

“As famílias que ainda não retiraram o kit gratuito, ou não sabem se tem direito, devem acessar o portal sejadigital.com.br/kit ou ligar gratuitamente para o número 147, com o NIS(Número de identificação social) em mãos e agendar a retirada”, reforça Sandra Frasson, gerente regional da Seja Digital. “No agendamento, as pessoas escolhem data e horário para retirar os equipamentos em um dos locais disponíveis na região”.

O desligamento do sinal analógico da televisão está previsto para acontecer no próximo dia 31 de janeiro na Curitiba e nos outros 26 municípios da região metropolitana: Araucária, Balsa Nova, Bocaiuva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Campo Magro, Carambeí, Colombo, Contenda, Fazenda Rio Grande, Guaratuba, Imbituva, Itaperuçu, Lapa, Mandirituba, Palmeira, Pinhais, Piraquara, Ponta Grossa, Quatro Barras, Rio Branco do Sul, São José dos Pinhais, Teixeira Soares, Tijucas do Sul e Tunas do Paraná. Após essa data, só será possível assistir à programação da TV aberta por meio do sinal digital. Para estar preparado antes da data-limite, é importante verificar se a antena já é digital e se o aparelho de televisão precisa de um conversor externo, aparelho que transforma o sinal digital em analógico e permite que a TV continue transmitindo a programação.

Sobre a Seja Digital

A Seja Digital (EAD – Entidade Administradora da Digitalização de Canais TV e RTV) é uma instituição não governamental e sem fins lucrativos, responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para o sinal digital da televisão no Brasil. Criada por determinação da Anatel, tem como missão garantir que a população tenha acesso à TV Digital, oferecendo suporte didático, desenvolvendo campanhas de comunicação e mobilização social e distribuindo kits para TV digital para as famílias cadastradas em programas sociais do Governo Federal. Também tem como objetivos aferir a adoção do sinal de TV digital, remanejar os canais nas frequências e garantir a convivência sem interferência dos sinais da TV e 4G após o desligamento do sinal analógico. Esse processo teve início em abril de 2015 e, de acordo com cronograma definido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, mais de 1300 municípios terão o sinal analógico desligado até 2018.

Continuar Lendo
Click para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cotidiano

Governo do Estado amplia fiscalização na divisa com São Paulo

Publicado

em

O Governo do Paraná vai reforçar a fiscalização nos postos instalados na divisa com São Paulo a partir desta quinta-feira (21). O número de agentes será ampliado em cerca de 40% nos 11 pontos em funcionamento. A medida foi definida nesta quarta-feira, em reunião do governador Carlos Massa Ratinho Junior com vários secretários e equipes, e valerá enquanto durar o feriadão prolongado de seis dias na capital paulista, que vai até segunda-feira (25).

A ação de fiscalização, monitoramento e triagem será comandada pela Secretaria da Segurança Pública e contará com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde, Polícia Rodoviária Estadual (PRE), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Exército. São nove postos da Polícia Militar e dois PRF.

A medida é de caráter preventivo e orientativo, e busca identificar pessoas com sintomas do Covid-19 que possam ampliar a circulação do vírus no Paraná. Quem apresentar sinais da doença não será impedido de entrar no Estado, mas será encaminhado diretamente para um posto médico especializado, permanecendo em isolamento até que o diagnóstico seja concluído.

Atualmente 22 policiais rodoviários atuam nos postos de fiscalização. “Os profissionais da Segurança Pública já estão nesses pontos desde março. A ideia é ter uma equipe a mais em cada posto para ajudar na fiscalização de ônibus e carros. Precisamos saber as condições de saúde das pessoas que pretendem entrar no Paraná”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Coronel Rômulo Marinho Soares.

O Estado de São Paulo lidera o ranking de mortos por coronavírus no País. São 5.147 óbitos e 65.995 casos confirmados da doença até esta terça-feira (19).

LITORAL – A secretaria reforçou ainda que os balneários paranaenses contam com uma fiscalização própria para evitar aglomerações. Outros pontos turísticos do Estado como parques, florestas e montanhas também estão todos fechados neste período por causa da pandemia. Marinho explicou que a pasta trabalha para prolongar a fiscalização mais rigorosa pelo menos até o fim de junho.

ANTT – O Governo do Estado encaminhará um ofício pedindo ainda o auxílio da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para diminuir a circulação de ônibus com origem em São Paulo e destino ou passagem pelo Paraná. A intenção é restringir também o número de bilhetes comercializados pelas companhias de ônibus.

ATUAÇÃO – O trabalho de conscientização nas divisas com Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso do Sul funciona desde março, de acordo com o Decreto nº 4230/2020. As equipes são formadas por servidores da Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Rodoviária Federal, Exército Brasileiro, Secretaria de Estado da Saúde. A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) garante o apoio logístico.

Por orientação da Secretaria da Saúde, as equipes nesses lugares devem ser formadas por enfermeiros (50%) e técnicos de enfermagem ou estudantes (50%), para cada grupo e turno de trabalho. Eles estarão subordinados ao enfermeiro do posto que estiver no plantão. Os profissionais atuarão exclusivamente nas ações de saúde, não cabendo a eles barreira física dos veículos, nos postos rodoviários.

Continuar Lendo

Cotidiano

Arte em nó de pinho

Publicado

em

QUATRO BARRAS – Nó de Pinho, troncos e galhos de árvores encontrados na mata, matéria prima utilizada por artesões e transformados em peças de artesanato como chaleiras, jarras, bules, cuias, canecos, charretes, coração, entre outros. Ideal para cultivar plantas como as orquídeas.

Levi Simões, morador da Borda do Campo em Quatro Barras, comercializa as peças que são confeccionadas em Guarapuava em parceria com o artesão Francisco Roberto. Amigos do tempo do exército que viram no artesanato uma forma de aumentar a renda familiar.

De acordo com Levi toda matéria prima vem da natureza como galhos e troncos de árvores caídos e o nó de pinho de araucária que ao longo dos anos foram caindo, seus troncos se desintegrando completamente, exceto os nós de pinho, pois, são de difícil decomposição, eles são encontrados geralmente enterrados.

“Buscamos com essa atividade mostrar a comunidade e ao comércio local e regional que podemos fazer belas obras de arte com madeiras encontradas na natureza, sem mesmo cortar uma única árvore. Tudo que usamos no nosso artesanato é catado em meio à mata. Com eles desenvolvemos nossa criatividade e com nossas ferramentas criamos obra de arte, que além de aumentar nossa renda familiar, encantam ainda mais os ambientes das casas”, declara Simões.

Contato pelo whats (41) 99839-7852

Rua: Ulisses Zatoni, 79 – Borda do Campo, Quatro Barras PR

Da Redação

Continuar Lendo

Agenda de Eventos

Bienal Internacional vai transformar Curitiba na capital dos quadrinhos

Publicado

em

As histórias em quadrinhos vão tomar conta do feriado de 7 de setembro em Curitiba. Entre esta quinta-feira e domingo (6 a 9), o Museu Municipal de Arte (MuMA), no Portão, vai receber a 5ª edição da Bienal Internacional de Quadrinhos, com palestras, debates, feira de HQs, sessão de autógrafos, oficinas, shows musicais e exposições simultâneas. Todas as atividades serão gratuitas.

A bienal é considerada o maior evento de quadrinhos do Sul do país e tem o apoio da Fundação Cultural. A curadoria é de Mitie Taketani, proprietária da loja Itiban Comic Shop, e de Érico Assis, jornalista especializado em quadrinhos e tradutor de HQs como “Retalhos” e “Habibi”, de Craig Thompson, e “O Escultor”, de Scott McCloud.

São mais de 60 artistas convidados, como Gidalti Jr., autor de “Castanha do Pará”, primeira obra ganhadora da categoria História em Quadrinhos do Prêmio Jabuti e Marcelo D’Salete – vencedor do prêmio Eisner, o mais importante do mundo em se tratando de HQs, com sua obra “Cumbe/ Angola Janga”.

O homenageado da edição, que irá receber o Prêmio Cláudio Seto de Quadrinhos, é Key Imaguire. Arquiteto onipresente em Curitiba, é um agitador cultural convicto, dono de um precioso acervo de quadrinhos e idealizador da Gibiteca de Curitiba, a primeira do Brasil.

Cidade em quadrinhos

O tema escolhido para a edição 2018 é “A Cidade em Quadrinhos”. A relação com o ambiente urbano, a utilização do espaço público, as diferentes culturas que circulam pelos grandes centros e os microambientes de cada bairro, casa e vida em contraste com a urbe são temas que figuram em grandes obras dos quadrinhos e interesse de vários autores.

Sonhar Curitiba & Olhar a Cidade

Seguindo o tema desta edição, “A Cidade em Quadrinhos”, os artistas serão convidados para um desafio e uma reflexão: que cidade imaginam para o futuro? O resultado dessa observação crítica poderá ser apreciado em obras de tamanhos e técnicas diversas, como grafite, colagem, ilustração e em meio digital.

Os trabalhos farão parte da mostra “Sonhar Curitiba” e estarão expostos na sala 1 do MuMA – Portão Cultural, durante os dias do evento. Em outra ação, Marcello Quintanilha vai passear por Curitiba para redescobrir e retratar a art déco, característica arquitetônica que viveu seu apogeu na década de 30. Esta é a ação “Olhar a Cidade”, residência que integra a Bienal deste ano em parceria com o SESI.

O responsável por unir essas duas ações é Guilherme Caldas, “explorador” e ciclista convicto. O artista vai percorrer Curitiba de ponta a ponta para revelar o que passa despercebido. A Casa Heitor Stockler de França, no Centro de Curitiba, será o local onde os artistas irão desenvolver suas ideias e colocá-las no papel.

A exposição estará em uma das salas da Bienal, no MuMA – Portão Cultural.

Nós em Traço

O coletivo multidisciplinar formado por Alessandra Lange, Ana Paula Luz, Juliane Engelhardt e Patrícia Machado atua entre as fronteiras da Dança, da Educação e das Artes Visuais, com foco no público infantil. Uma sala do MuMA – Portão Cultural irá receber esta performance no sábado (8/9), a partir das 15h.

Croquis Urbanos

Desenhar ao ar livre por puro prazer, estimular a diversidade de linguagens gráficas e despertar o interesse por personagens, pela arquitetura e pelo design urbano de Curitiba. Esta é a proposta que move há cinco anos o grupo Croquis Urbanos, formado por amadores e profissionais, que semanalmente se encontra para observar e “eternizar” cenas do cotidiano da cidade.

Durante a Bienal, os artistas e interessados vão retratar o MuMA – Portão Cultural. Para participar é só levar seu material de desenho. Esta ação ocorre no domingo (9/9), a partir das 11h.

Impressão Minha (27’15”)

Dirigido por Gabriela Leite, Daniel Salaroli e João Rabello, o documentário “Impressão Minha” discute o mercado editorial independente e o livro como objeto. Lançado no MIS (SP) em julho deste ano, o filme será exibido no domingo (9/9), às 17h.

Serviço: Bienal de Quadrinhos de Curitiba 2018
Local: Museu Municipal de Arte (MuMA)
Portão Cultural – Avenida República Argentina, 3432, Portão
Data: de 6 a 9 de setembro
Ingresso grátis

Fonte: PMC

Foto: Jardim Botânico/V.Lentcsh/Face da Notícia

Continuar Lendo

Tendência