Saúde

Boletim registra 992 novos casos e 66 óbitos pela infecção por coronavírus no Paraná

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde confirma nesta terça-feira (15) 992 novos casos e 66 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma 154.168 casos e 3.878 mortes em decorrência da doença. Há ajustes nos casos confirmados detalhados ao final do texto.

INTERNADOS –  São 1.092 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19: 908 estão em leitos SUS (414 em UTI e 494 em leitos clínicos/enfermaria) e 184 em leitos da rede particular (68 em UTI e 116 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 1.062 pacientes internados, 470 em leitos UTI e 592 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

ÓBITOS –  A secretaria estadual informa a morte de mais 66 pacientes. Todos estavam internados. São 23 mulheres e 43 homens com idades que variam de 25 a 96 anos. Os óbitos ocorreram entre 1º e 15 de setembro.

Os pacientes que faleceram residiam em: Curitiba (18), Londrina (9), Maringá (5), Araucária (2), Campo Largo (2), Colombo (2), Piraquara (2), Ponta Grossa (2), Rolândia (2). Também foi registrado um óbito em cada um dos seguintes municípios: Ampére, Antônio Olinto, Arapongas, Astorga, Cambé, Foz do Iguaçu, Ibaiti, Itaipulândia, Mauá da Serra, Nova Prata do Iguaçu, Paraíso do Norte, Peabiru, Piraí do Sul, Pranchita, Rio Negro, Santo Inácio, São Jorge do Ivaí, São José dos Pinhais, São Mateus do Sul, Terra Boa, Toledo e Tupãssi.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da secretaria estadual registra 1.652 casos de pessoas que não moram no Estado – 40 foram a óbito.

AJUSTES:

Alteração de município:

Um óbito confirmado em 02/09 em Curitiba (Feminino, 86 anos) foi transferido para Clevelândia.

Exclusões

Um óbito confirmado em 03/06 em Curitiba (Feminino, 50 anos) foi excluído por erro de notificação. (AEN)

Continuar Lendo
Click para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19 – Saúde registra 18.464 casos de infecção e 551 mortes no Paraná

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta sexta-feira (26) mais 846 novos casos da Covid-19 e 25 óbitos pela doença no Paraná. O Estado chega agora a 18.464 diagnósticos confirmados e 551 óbitos. Há ajustes de municípios de residência em casos já confirmados.

INTERNADOS – Nesta sexta-feira, o Estado tem 651 pacientes com diagnóstico positivo internados. São 545 em leitos SUS (196 em UTI e 349 em leitos clínicos/enfermaria) e 106 em leitos da rede particular (39 em UTI e 67 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 790 pacientes em UTI e  enfermarias que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção.

ÓBITOS – Os 25 pacientes que faleceram, registrados neste informe, estavam todos internados. São dez mulheres e 15 homens, com idades que variam de 34 a 90 anos. Os óbitos ocorreram entre os dias 17 e 26 de junho.

Oito pessoas que faleceram residiam em Londrina e seis em Curitiba. Há um óbito em cada um dos municípios de Araucária, Campo Largo, Carambeí, Cascavel, Colombo, Foz do Iguaçu, Piraí do Sul, Piraquara, Santo Antônio da Platina, Sertanópolis e Umuarama.

MUNICÍPIOS – Atualmente, 343 cidades paranaenses têm ao menos um caso confirmado pela Covid-19. Floraí, Ipiranga, Santa Izabel do Oeste e São Jorge do Ivaí registraram casos pela primeira vez. Em 125 municípios há óbitos pela doença.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 208 casos de residentes de fora. Treze pessoas foram a óbito.

AJUSTES – Quatro casos confirmados em Curitiba (dois no dia 12, um no dia 16 e mais um no dia 17 de junho), foram transferidos para Rio Branco do Sul. Dois casos confirmados no dia 24 de junho, em Cianorte, foram transferidos para Indianópolis e Tapejara. Um caso confirmado dia 21 de junho, em Ponta Grossa, foi transferido para Ipiranga; e caso confirmado dia 12 de junho, em Pinhais foi transferido para Piraquara.

Há também um caso de São José dos Pinhais, confirmado no dia 16, que foi transferido para Fazenda Rio Grande; dois casos confirmados dia 17, em Pinhais, transferidos para Fazenda Rio Grande e Colombo; um caso confirmado dia 21, em Araucária, transferido para Figueira; dois casos confirmados dias 23 e 24 de junho, em Colombo, transferidos para Curitiba, e um caso confirmado dia 24 em Balsa Nova, transferido para a Lapa. (Fonte: ANPr)

Continuar Lendo

Saúde

Prefeitura começa a aplicar 55 mil testes em grupos prioritários

Publicado

em

A Prefeitura de Curitiba vai ampliar os testes para diagnosticar a covid-19 na cidade. Além dos quadros sintomáticos respiratórios graves, serão testados também os casos leves com vulnerabilidade, os moderados e os profissionais da cidade que estão prestando serviços essenciais diretamente à população.

Os grupos prioritários para aplicação dos 55 mil testes, entre sorológico e molecular (RT-PCR), foram definidos pela Secretaria Municipal da Saúde. O anúncio da ampliação dos testes foi feito nesta terça-feira (2/6) pelo prefeito Rafael Greca e pela secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak. “Estes testes vão nos ajudar no enfrentamento do vírus e na defesa da população”, declarou Greca.

Para Márcia, a ampliação dos testes ajudará no diagnóstico casos sintomáticos respiratórios na fase inicial da covid-19 e avaliar melhor a distribuição do vírus entre a população.

“Além de melhorar o apoio ao tratamento, podemos evitar a disseminação do vírus, proteger os demais servidores e a população em geral do contágio, e nos permite ainda o retorno ao trabalho de profissionais com resultado negativo para covid-19, mantendo a força de trabalho essencial na prestação de serviços à população”, disse a secretária.

Grupos para testagem

Os grupos definidos para testagens incluem os contatos, como familiares, de pacientes já confirmados com a doença e também familiares e contatos próximos de pessoas que foram a óbito pela covid-19. Pessoas em situação de rua ou em vulnerabilidade social e ainda os profissionais da cidade mais expostos à transmissão do vírus também terão testes. “São trabalhadores que não puderam ficar em home office, em isolamento”, lembrou Márcia.

Os testes serão aplicados em todos os moradores e cuidadores das instituições de longa permanência; contatos de pessoas que foram a óbito por covid-19 na cidade; trabalhadores da saúde; como os das UPAs, do Samu e de hospitais, equipes da Fundação de Ação Social (FAS), guardas municipais, fiscais, servidores do Abastecimento que trabalham no atendimento de restaurantes populares e Armazéns da Família; pessoal do serviço funerário; prestadores de serviços, como equipes de limpeza pública, motoristas e cobradores do transporte público; pessoas em situação de rua e de vulnerabilidade social; além de pacientes que fazem diálise.

A rede municipal de saúde vai entrar em contato com as pessoas que serão testadas. Não é necessário procurar a rede. “A testagem precisa seguir uma lógica específica, não podemos sair testando aleatoriamente toda a população. Precisamos de um critério e ele se aplica primeiramente aos mais expostos e vulneráveis, então priorizamos dentro do que temos disponível os trabalhadores da linha de frente da cidade e também a rede de contato de pessoas confirmadamente infectadas”, disse a secretária.

A testagens começam nesta semana e o primeiro grupo são as equipes das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), do Samu, de hospitais e os guardas municipais. As demais etapas serão de forma escalonada e comunicadas na sequência. (

Continuar Lendo

Saúde

Curitiba é a primeira cidade do Brasil a oferecer videoconsulta para covid-19

Publicado

em

Curitiba é a primeira cidade do Brasil a usar a videoconsulta para atendimento médico de pacientes suspeitos da covid-19. O serviço a distância começa a ser oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde nesta sexta-feira (27/3) e tem como objetivo reduzir o fluxo de pacientes presenciais nas unidades da rede municipal, contribuindo para o controle da pandemia.

A tecnologia foi doada ao município pela empresa de agendamento de consultas on-line Doctoralia, com sede brasileira em Curitiba.

“Com a nova tecnologia, as pessoas suspeitas da doença não vão precisar sair de casa para se consultar com um médico do SUS curitibano, o que poderá minimizar os efeitos do novo coronavírus na capital”, afirmou o prefeito Rafael Greca, que visitou a central de teleconsulta por videoconferência na sede da secretaria municipal.

Inicialmente, a pessoa irá passar por uma triagem na Central de Atendimento da Secretaria de Saúde, no telefone 3350-9000. Constatada a necessidade do atendimento por vídeo – os casos moderados e graves -, o paciente irá receber no smartphone, por SMS, um link que dará acesso à consulta on-line, que deve ocorrer no mesmo dia.

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, explicou que 24 médicos irão fazer as videoconsultas em terminais com câmeras e o prontuário do paciente. “As pessoas que apresentarem sintomas serão encaminhadas para o atendimento de videoconferência”, salientou ela. Já os casos leves continuarão a receber orientações dos atendentes da Central.

O prefeito agradeceu a Doctoralia por ceder gratuitamente as licenças da plataforma para que o município pudesse oferecer a teleconsulta por videoconferência durante a pandemia. “Parte do nosso Vale do Pinhão, a Doctoralia se uniu à Prefeitura e à Agência Curitiba de Desenvolvimento para proteger e salvar vidas. É um grande exemplo de solidariedade social”, afirmou o prefeito.

Segundo Carlos Eduardo Lopes, CEO da Doctoralia, a empresa está empenhada em ajudar o setor público a reduzir os impactos da pandemia. “Há mais de dez anos, buscamos aproximar o médico dos pacientes com nosso serviço de consultas on-line em todo o mundo e a União Europeia já aprovou a plataforma para teleconsultas”, explica ele.

Lopes anunciou ainda que a tecnologia também estará disponível gratuitamente para outros municípios durante a pandemia.

Presente em mais de 15 países, a Doctoralia foi fundada na Polônia e é considerada a maior plataforma de saúde do Brasil e do mundo. Só no Brasil a empresa tem dez milhões de usuários únicos.

A presidente da Agência Curitiba, Cris Alessi, também participou da visita ao setor de videoconsulta da Secretaria Municipal de Saúde.  (Foto: Ricardo Marajó/FAS)

Continuar Lendo

Tendência