Notícias

Mais de 5 milhões de paranaenses foram imunizados contra Covid-19, quase 60% do público vacinável

Publicado

em

Mais de 5 milhões de paranaenses já foram vacinados contra a Covid-19, seja com a primeira dose ou com dose única. Os imunizantes foram aplicados em 5.062.370 pessoas, o que corresponde a 58% da população paranaense acima de 18 anos. O marco foi ultrapassado nesta segunda-feira (12). O indicador representa aqueles que passaram ao menos uma vez em algum ponto de vacinação.

No total, quase 6,5 milhões de doses foram administradas: são 6.466.670 aplicações, sendo 4.865.381 primeiras doses, 1.404.300 segundas doses e 196.989 doses únicas. O percentual de paranaenses que já estão completamente imunizados contra o vírus é de 18,36%. Os dados são do Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), vinculado ao Ministério da Saúde.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior recebeu a vacina neste domingo (11), em Apucarana. O município foi o primeiro a aderir à campanha de vacinação de Domingo a Domingo, junto com Maringá. Desde março foram aplicadas mais de 1 milhão de doses em todo o Estado aos sábados e domingos.

O governador aproveitou a ocasião para reforçar a importância de todos os paranaenses aderirem à vacinação. “A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é um órgão extremamente rígido e só liberou vacinas seguras e eficazes, imunizantes que protegem. É importante vacinar e também tomar a segunda dose, quando é o caso. A gente só vai reduzir o número de óbitos quando a vacina atingir a maior parte da população”, afirmou Ratinho Junior.

“Nossa expectativa e objetivo é que, no dia 31 de agosto, todos os municípios paranaenses batam juntos o sino dos 80% de vacinação, pelo menos na primeira dose da população-alvo”, declarou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. A expectativa é atingir 100% da população adulta até setembro.

PERFIL – Das vacinas administradas para primeira dose/dose única, a mais aplicada é a Covishield, da parceria AstraZeneca/Oxford/Fiocruz, com 55% do total de doses utilizadas. Na sequência, está a Coronavac (Instituto Butantan/Sinovac), com 25,8%; a Cominarty (Pfizer/BioNTech), com 15,3%; e a Janssen (Johnson & Johnson), com 3,9%.

O público que mais recebeu D1 ou dose única até o momento foi de 65 a 69 anos (753.171), seguido de 45 a 49 anos (665.258), 50 a 54 anos (662.823), 55 a 59 anos (655.324) e 70 a 74 anos (641.985). A maioria é feminina (2,7 milhões).

DOSE ÚNICA – Em números absolutos, o município que mais aplicou vacinas da Janssen até esta segunda-feira é Curitiba, com 35.697 doses. Na sequência estão Londrina (9.312), São José dos Pinhais (8.698), Maringá (7.588) e Apucarana (6.728).

Segundo o Ranking de Vacinação, mantido pela Secretaria estadual de Saúde, os municípios que mais aplicaram doses únicas proporcionalmente à sua população foram Itaperuçu, Sertaneja, Lidianópolis, Apucarana e Diamante do Norte.

PRIMEIRA DOSE – A Capital, cidade mais populosa do Paraná, também lidera entre as primeiras doses, com 856.864 aplicações. A cidade é seguida por Maringá (257.546), Londrina (242.163), Cascavel (148.168) e Ponta Grossa (126.689). Completam a lista Foz do Iguaçu (113.411), São José dos Pinhais (106.247), Paranaguá (83.982), Colombo (79.954), Guarapuava (67.545), Toledo (59.497), Arapongas (58,768), Apucarana (55.572), Pinhais (52.921) e Araucária (51.029).

Na primeira dose, os municípios que se destacam na aplicação da primeira dose proporcionalmente à sua população são São Jorge d’Oeste, Diamante do Norte, Maringá, Pontal do Paraná e Santa Cecília do Pavão.

Contando a imunização completa, com a segunda dose aplicada, estão São Jorge d’Oeste, Diamante do Norte, Nova Laranjeiras, Maringá e Miraselva.

TAXA DE TRANSMISSÃO – Somado ao avanço da vacinação, o quadro da Covid-19 no Paraná também demonstra uma queda na taxa de transmissão do vírus (Rt) e na ocupação de leitos de UTI exclusivos para Covid-19.

Atualmente, o Paraná é o Estado com a menor taxa de transmissão do Brasil: 0,7. A média nacional, por sua vez, está em 0,86. O Estado apresenta queda na Rt desde 1° de julho, quando o índice baixou de 1,09 para 0,99. Desde então, o número continua caindo, mostrando uma tendência de diminuição no contágio pelo coronavírus.

Os dados são do sistema Loft.Science, que desenvolveu um algoritmo para monitorar a transmissão do coronavírus no Brasil. A Rt indica a velocidade de contágio pelo vírus por região, mostrando quando o contágio pelo vírus está acelerado (maior que 1), estável (igual a 1) ou em remissão (menor que 1) – único cenário que aponta uma melhora na situação epidêmica. Quanto mais próximo de zero, menores as chances de contágio.

Já a taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para Covid-19 no Paraná também apresenta baixa. O Boletim Epidemiológico da Secretaria da Saúde publicado neste domingo (11) mostra que a taxa está em 83%: dos 1.997 leitos disponíveis, 1.654 estão ocupados. Na última segunda-feira (5), o número baixou de 90% pela primeira vez em quatro meses.  (Geraldo Bubniak/AEN)

Notícias

Comércio paranaense alcança o melhor resultado do ano com crescimento de 6,2% em julho

Publicado

em

O comércio varejista paranaense deu um novo sinal de recuperação e alcançou em julho o melhor desempenho do ano no crescimento do volume de vendas. De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta sexta-feira (10), o incremento em relação a junho foi de 6,2%, quase seis vezes maior do que a média nacional, que ficou em 1,1%.

Foi também o segundo melhor desempenho entre todos os estados do País no período, atrás apenas de Santa Catarina (6,7%).

A variação mensal em relação a julho de 2020 também foi positiva, de 11,9%, com o acumulado do ano apontando alta de 8,6% e de 6% nos últimos 12 meses – o levantamento é ampliado, ou seja, abrange todos os segmentos, incluindo automóveis e materiais de construção.

“Com o avanço da vacinação e a diminuição nos índices relacionados à pandemia da Covid-19, como a taxa de mortalidade e a ocupação dos leitos hospitalares, o comércio pôde avançar. Sempre, é claro, garantindo todas as normas de segurança sanitária exigidas pela Secretaria de Estado da Saúde. É um desempenho importante que reforça a perspectiva de um fim de ano bem melhor, com aumento significativo no volume de vendas”, destacou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

“Tudo isso tem um impacto bastante significativo na economia do Paraná, com geração de emprego e renda em todas as regiões”, acrescentou.

Esse foi o quarto desempenho positivo do comércio varejista do Paraná em 2021. Em fevereiro o IBGE apontou um crescimento de 2,7%; abril fechou com 2,7% e maio com 4,3%. Nos outros meses houve estabilidade ou retração, de 0% em janeiro, -2,4% em março e -3,5% em junho, já considerando os ajustes sazonais.

SEGMENTOS – Os principais condutores do setor no ano foram as vendas de materiais de uso doméstico (34,3%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (21,8%), tecido, vestuários e calçados (20,1%), material de construção (18,8%), veículos, motocicletas, partes e peças (18,4%), móveis (6%) e combustíveis e lubrificantes (2,7%).

No recorte sem materiais de construção e veículos, que têm muito peso no setor, o crescimento foi de 11,1% em julho, o terceiro melhor do País, abaixo de Rondônia (17,5%) e Santa Catarina (12,5%).

Segundo a Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio-PR), 2021 tem sido marcado pela retomada nos setores de óticas, cine-foto-som, concessionárias de veículos, móveis, decorações e utilidades domésticas, materiais de construção, autopeças, farmácias e combustíveis.

NACIONAL – No comércio varejista ampliado do País o volume de vendas cresceu 1,1% em julho frente a junho. Esse aumento foi puxado pelo setor de veículos, motos, partes e peças (0,2%), enquanto material de construção variou negativamente (-2,3%).

Na comparação com junho, a variação positiva em julho foi seguida por 15 unidades da federação, sendo as principais Santa Catarina (6,7%), Paraná (6,2%) e Mato Grosso do Sul (5,3%). Entre as quedas, pressionando negativamente, destacam-se Maranhão (-2,6%), Rio Grande do Norte (-2,2%) e Sergipe (-2,2%).

Ainda considerando o comércio varejista ampliado, no confronto com julho de 2020, a distribuição regional mostrou predomínio de resultados positivos em 21 das 27 Unidades da Federação, com destaque para Piauí (27,4%), Mato Grosso do Sul (21,2%) e Rondônia (21,1%). Por outro lado, pressionando negativamente, figuram seis das 27 Unidades da Federação, apresentando as menores quedas Amazonas (-10,8%), Paraíba (-5,9%) e Maranhão (-5,1%).

INDÚSTRIA  O bom desempenho do comércio acompanha também a evolução da indústria. O Paraná foi o terceiro Estado do País com maior crescimento na produção industrial em julho. O avanço foi de 3,3% de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal-Regional (PIM-PF-Regional), também do IBGE – apenas Bahia (6,7%) e Espírito Santo (3,7%) tiveram desempenho superior no período.

Em relação à Região Sul, Santa Catarina (-1,5%) e Rio Grande do Sul (-1,7%) apresentaram retração, acompanhando a média brasileira, que ficou em -1,3% no mesmo recorte. (Foto: José Fernando Ogura/AEN)

Continuar Lendo

Notícias

Semana no Paraná começa com 3.527 vagas ofertadas pelas Agências do Trabalhador

Publicado

em

As 216 Agências do Trabalhador do Estado ofertam nesta semana 3.527 vagas de empregos com carteira assinada em empresas do Paraná. Destas, 1.534 estão disponíveis nas agências de Curitiba e Região Metropolitana. O atendimento nesta segunda-feira (6) será feito mediante agendamento, das 9h às 17h.

A Secretaria estadual da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) é responsável pela captação e intermediação de vagas nas Agências do Trabalhador no Estado. “É inquestionável o esforço das Agências do Trabalhador para captar vagas e encaminhar profissionais para empregos formais”, afirma o secretário Ney Leprevost, reforçando que as agências têm uma postura proativa e buscam vagas diretamente com as empresas.

As principais vagas disponíveis são para auxiliar administrativo (329), operador de telemarketing ativo e receptivo (293), abatedor de aves (125), e alimentador de linha de produção (288).

A Agência do Trabalhador de Curitiba disponibiliza vagas para contratação imediata, para desenvolvedor de TI (3 vagas), motorista carreteiro (2 vagas), chacareiro (1 vaga), eletricista (1 vaga) e enfermeiro (1 vaga).

ATENDIMENTOS – Os interessados em alguma das vagas ofertadas devem buscar orientações entrando em contato pelo aplicativo Sine Fácil (disponível gratuitamente para celulares Android e IOS) ou pelos sites empregabrasil.mte.gov.br e http://www.justica.pr.gov.br/Pagina/Escritorios-Regionais.

A Agência do Trabalhador de Curitiba está atendendo o público de forma presencial. Para evitar aglomeração, e respeitando todas as orientações das autoridades sanitárias, o atendimento está sendo feito somente com horário marcado, das 9h às 17h. Os interessados devem agendar através do SITE.

As demais Agências do Trabalhador do Paraná estão seguindo os decretos municipais.

OFERTA DE VAGAS – Empresários e trabalhadores de todo o Paraná que procuram ou ofertam vagas e que estiverem com dificuldade de finalizar o atendimento nas ferramentas digitais, tais como Portal Emprega Brasil, e aplicativos da Carteira de Trabalho Digital, Sine Fácil e Paraná Serviços, podem receber o suporte técnico por meio do Chat do Trabalhador, no site da Sejuf.    (Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

 

Continuar Lendo

Notícias

Paraná ultrapassa a marca de 11 milhões de vacinas aplicadas contra a Covid-19

Publicado

em

O Paraná ultrapassou nesta sexta-feira (3) a marca de 11 milhões de vacinas aplicadas contra a Covid-19. Até agora, 7.512.704 pessoas receberam a primeira dose (D1), 320.089 doses únicas (DU) e 3.243.997 a segunda dose (D2), somando 11.076.790 vacinas.

Com a D1 e DU, o Estado já atingiu 89,8% da população adulta, estimada em 8.720.953 de pessoas. Já com relação a D2 e DU, o Paraná alcançou 40,8% da população acima de 18 anos completamente imunizada e 30% da população geral.

Os dados do vacinômetro nacional também apontam que agosto foi o mês em que o Estado aplicou mais vacinas contra a doença desde o início da campanha de imunização. Atualizado nesta sexta-feira (3), o sistema mostra que 2.779.756 doses foram administradas neste período. Este é o terceiro mês consecutivo que o Paraná bate recordes em aplicações.

As ações de imunização foram possíveis graças ao envio de 2.980.070 vacinas por parte do Ministério da Saúde neste mês.

“O Paraná sempre foi referência em ações de imunização e contra a Covid-19 não é diferente”, diz o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. “Temos capacidade de aplicar mais de 150 mil doses por dia, e dentro da nossa realidade, com o apoio das equipes municipais, estamos fazendo as vacinas chegarem até o braço dos paranaenses no menor tempo possível”.

Nesta sexta-feira, o Ministério da Saúde confirmou mais 641.782 vacinas para o Paraná nos próximos dias. Neste sábado (4), parte do lote, com 187.800 doses, deve chegar ao Estado.

A Secretaria da Saúde está organizando uma força-tarefa para descentralizar os imunizantes ainda neste fim de semana. “Agradecemos a parceria dos municípios em vacinar os paranaenses de domingo a domingo. Sem dúvidas muitas vidas estão sendo salvas”, afirma Beto Preto. (Foto: José Fernando Ogura/AEN)

Continuar Lendo

Tendência