Social

Muita música, grande público e organização garantiram sucesso da Corrente Cultural

Publicado

em

 

00139774

 

 

CURITIBA – O domingo de céu azul e o calor de 30 graus só contribuíram para mais um dia de sucesso da Corrente Cultural 2013, que encerrou suas atividades na noite deste domingo (10), com a participação de mais de 300 mil pessoas durante toda a semana do evento, segundo estimativas da organização. A quinta edição do festival terminou com muita animação, embalada pelos últimos shows da noite, com Lenine, Tiago Iorc, Blitz e Fundo de Quintal, nos palcos Carlos Gomes, Ruínas, Riachuelo e Boca Maldita.

O prefeito Gustavo Fruet circulou pelo centro da cidade, durante a tarde, e acompanhou as atrações. Ao visitar a Casa Heitor Stockler de França (Av. Marechal Floriano), que serviu de ponto de apoio aos artistas que se apresentaram no Palco Carlos Gomes, Fruet se encontrou com Alexandre Nero, pouco antes da sua apresentação com a Orquestra à Base de Sopro e agradeceu o ator por participar do evento. O prefeito destacou que a Corrente Cultural tem cada vez mais a tradição de mesclar nomes consagrados com os artistas locais. “Foi uma festa maravilhosa. A cidade inteira participou e tudo ocorreu com tranquilidade, alegria e grande presença dos curitibanos”, afirmou. Fruet lembrou que a homenagem a Waltel Branco foi muito importante e serve de referência para que as próximas edições sigam este mesmo conceito.

O presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli, destacou ainda a oportunidade oferecida às bandas locais. “Temos que fortalecer e valorizar a música curitibana, dando oportunidade aos músicos de mostrar o seu trabalho, dando-lhes o devido valor e apoio”, disse. “A Corrente Cultural só é possível graças ao empenho e participação dos parceiros, tanto os realizadores quanto os apoiadores, que se unem em prol da cultura da cidade”, completou Cordiolli. A Corrente Cultural é realizada pela Prefeitura de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Secretaria de Estado da Cultura (SEEC), Sesi-PR, Fecomércio-PR/Sesc-PR e demais parceiros. “É maravilhoso ver as pessoas nas ruas, aproveitando a intensa programação espalhada por toda a cidade. O crescimento do número de atrações e de público que vemos anualmente demonstra que o esforço coletivo, de parceiros que têm em comum o objetivo de promover a cultura e ampliar o acesso da população a atividades culturais de qualidade, vale a pena”, destaca o secretário de estado da Cultura Paulino Viapiana.

Durante o show Waltel para Tod@s na noite de sábado, fãs buscavam diferentes formas de entrar em contato com a obra do músico. O ilustrador Marcelo Bittencourt, que percorria o palco Carlos Gomes acompanhado de um caderno e uma paleta de tintas, pintou a banda que juntamente com Ravi Brasileiro e Rogéria Holtz acompanhou o maestro. “Eu vim para a rua em busca de inspiração. Outras artes, como a música, são excelentes fontes de inspiração para o desenho. Aqui na rua eu tento captar um pouco desse ambiente e brincar com os traços”, contou.

O ilustrador acredita que a Corrente Cultural cumpre importante papel para os curitibanos. “É muito bom quando as pessoas saem às ruas para se inspirar com a arte, para conhecer mais da cultura e da música brasileira, e isso tem sido muito valorizado durante o evento”.

O estudioso do samba e ritmista da Escola de Samba Mocidade Azul, Eyrimar Bortot, andava pela Carlos Gomes orgulhoso com um disco do sambista Jorginho do Império. Como o violão de 12 cordas das canções leva a assinatura de Waltel Branco, Bortot aproveitou para pedir um autógrafo do maestro no bolachão.”Muitos sambas que a gente ouve hoje estão com os acordes de Waltel. Não tive como não agradecer a oportunidade que a Corrente me deu de chegar perto dele e pegar esse autógrafo”, comemorou.

Palco Carlos Gomes

No show que realizou com a Orquestra à Base de Sopro, grupo artístico da Fundação Cultural de Curitiba, no Palco Carlos Gomes, o ator curitibano Alexandre Nero mostrou o seu talento também como cantor. Abriu o espetáculo cantando “Água de Beber”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, a primeira de uma série de canções do repertório selecionadas para celebrar os 100 anos do compositor. “Não é sempre que se toca com uma orquestra desse porte. Estou me sentindo um Pavarotti”, brincou.
A Praça Carlos Gomes ficou ainda mais lotada no final da tarde, com uma multidão aguardando o show de Lenine. “Tocar ao ar livre, numa praça, para um grande público e de graça é ótimo. Essa acessibilidade tem que virar tradição. A cada ano é preciso aprimorar e virar uma festa que é uma oportunidade de mostrar a nossa pluralidade musical”, disse Lenine.

Palco Conexões

O cantor Criolo foi uma das grandes atrações do Palco Conexões, montado na Boca Maldita. Mais de 40 mil pessoas aproveitaram o show que ocorreu neste domingo. Ao todo, de acordo com a Secretaria de Estado da Cultura, o espaço atraiu cerca de 160 mil pessoas no fim de semana, que puderem conferir os shows de Wanderléa, Gaby Amarantos, Karol Conka, Martinho da Vila, Esperanza, Grupo Boca Negra, Palavra Cantada e Fundo de Quintal. O Palco Conexões foi montado pelo Governo do Estado, e integrou as atividades da Corrente Cultural de Curitiba.

Além do Palco Conexões, ocorreram apresentações também no Museu Oscar Niemeyer e no Teatro Guaíra. No sábado, o público acompanhou por mais de duas horas a aula-show sobre Leminski, com José Miguel Wisnik e participação especial de Estrela Leminski e Téo Ruiz, e também dos músicos Sergio Reze e Swami Junior. No domingo, durante todo o dia, diversas atividades, como prática de ioga, exposição de fotos, exibição de filme e shows de artistas locais fizeram parte da programação da Musicletada.

O Balé Teatro Guaíra encenou ”A Sagração da Primavera”, na noite de sábado, no Guairão. O grupo também participou da Corrente com quatro coreografias, três delas do Projeto Experiência Urbana, que tem como objetivo levar a dança a espaços abertos, criando interação direta com o público. A primeira encenação ocorreu na manhã de sábado com ”Visita Guiada”, no Memorial de Curitiba. No domingo, o grupo apresentou “Ontem Também é Hoje” e ”Conversa Silenciosa”, no Largo da Ordem.

No domingo a Orquestra Sinfônica do Paraná fez um concerto especial no Guairão, com apresentação da “Sinfonia nº 3” de Beethoven, também conhecida como “Heróica”. A regência foi do maestro Osvaldo Ferreira. Dezenas de crianças passaram a noite na Biblioteca Pública do Paraná na quinta edição do acantonamento, que contou com brincadeiras e contação de histórias.

Durante toda a semana o público também pode conferir as exposições em cartaz no Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Casa Andrade Muricy, Museu Paranaense, Museu Alfredo Andersen e MON, que integraram a programação da Corrente Cultural.

Novidades

Nos outros palcos, mesmo menores, o clima também foi de descontração, especialmente o “Chega e Toca!”, que foi novamente um dos mais disputados. Vinte e cinco grupos e artistas se inscreveram para tocar neste domingo e, no final, falavam da satisfação de poder se apresentar. “Foi uma oportunidade única. Vocês não sabem o quanto isso vale para a gente. As pessoas estão elogiando. É só coisa boa”, conta Tião Caipira, artista de rua que costuma se apresentar no calçadão da Rua das Flores.

Falcão, sósia do músico cearense, também chegou e cantou, arrancando os aplausos de uma plateia animada. “Foi muito bom, uma grande alegria para nós”, comentou enquanto era assediado para fotografias. A banda Multa Potione estava no camarim prestes a encarar o palco, pela primeira vez em Curitiba. “Estávamos acompanhando os shows da Corrente e vimos esse espaço aberto para quem quer se apresentar. A proposta foi superinteressante”, disse o baterista Giuliano.

O TUC esteve o tempo todo lotado com as bandas de rock selecionadas por edital da Fundação Cultural de Curitiba. Para o baixista Allan Giller Branco, da banda Black Cherry, o mais interessante nesta edição da Corrente Cultural foi o foco nas bandas autorais. “A satisfação de todas as bandas é poder executar o seu trabalho e ver a reação do público”, disse. Vários grupos de Curitiba também se apresentaram no Palco Ruínas – Namastê, Universo em Verso Livre, Léo Fressato, Maxixe Machine e Raíssa Fayet. Tiago Iorc fechou a programação nas Ruínas.

Durante uma semana, a Corrente Cultural espalhou diversas atrações por toda a cidade em vários palcos e espaços, e este ano homenageou um dos grandes nomes da música paranaense: o mestre Waltel Branco. Foram mais de 300 atrações durante a semana. O ponto alto da programação ocorreu no fim de semana, com seis palcos montados em diversos locais, por onde passaram grandes nomes da música nacional e bandas locais. (Fonte: PMC)

Continuar Lendo
1 Comment

1 Comment

  1. Eyrimar Fabiano Bortot

    14 de janeiro de 2019 at 16:10

    Lindos shows e uma brilhante carreira…vai nos deixar muita saudade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agenda de Eventos

Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta 9ª Sinfonia de Mahler

Publicado

em

A Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta neste domingo (15), às 10h30, a Sinfonia nº9, de Gustav Mahler (1860 – 1911). O espetáculo, sob a regência do maestro titular Stefan Geiger, será no Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto (Guairão) com ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

A apresentação faz parte da programação da Orquestra para 2018. A Sinfonia nº9 foi a última que o compositor completou. “Mahler era um pouco supersticioso”, diz Stefan Geiger. “Ele acreditava que não sobreviveria à sua nona sinfonia, assim como os grandes compositores não sobreviveram. Por isso só quando a concluiu que a chamou oficialmente de sinfonia”, acrescentou o maestro. Mahler morreu logo após completar a obra e não pôde ouvi-la ser executada pela primeira vez, em 1912.

Segundo Geiger, a obra é dividida em quatro partes, começando com um movimento rítmico hesitante que lembra batidas cardíacas. Ela evolui de forma grosseira para tons mais desafiadores e termina com um lento adagio. A Sinfonia nº9 é uma peça que conecta as composições, por muitas vezes trágicas, do romantismo do Século XIX às músicas inovadoras do modernismo do Século XX.

A interpretação mais comum da obra é que ela representa a despedida de Mahler de sua filha, Maria Anna, que morreu em 1907. “Eu tento não me influenciar muito por essas interpretações e busco focar mais nos aspectos musicais da obra”, diz o maestro. “Mas é preciso admitir, não importa quão racional você seja, você sente na música Mahler dizendo adeus para o mundo, é inacreditável. É essa sensação que queremos compartilhar com o nosso público”, afirma.

Para Stefan Geiger, apresentar essa obra de Mahler é reconhecer o progresso do trabalho dos músicos da Orquestra Sinfônica do Paraná. “Nossa orquestra está finalmente com tamanha qualidade que podemos dar conta do alto nível que essa sinfonia demanda, tanto do trabalho conjunto como de cada músico. Estamos felizes em poder apresentar essa obra este ano”, acrescentou o maestro.

STEFAN GEIGER – É o maestro titular da Orquestra Sinfônica do Paraná desde 2016. Nascido na Alemanha em uma família de músicos, ele começou a estudar música com cinco ando de idade, aprendendo o piano, violino, bateria e trombone. Estudou em Colônia, Trossingern, Bremen, Paris, Filadélfia e foi premiado diversas vezes em concursos internacionais.

Há vários anos é convidado pela NDR Elbphilharmonie Orchester Hamburg para realizar, entre outras atividades, a direção de concertos acompanhados pela apresentação de filmes mudos. O público acolhe com grande entusiasmo filmes renomados como “O Artista”, “Ben Hur”, as comédias de Buster Keaton e dramas como o “Encouraçado Potemkin”, alguns apresentados no Teatro Guaíra.

GUSTAV MAHLER – Compositor austríaco do período romântico e um dos principais maestros de sua geração, Mahler nasceu judeu em circunstâncias humildes e, mais tarde, se converteu ao catolicismo. Compôs músicas que uniram a tradição austro-alemã do Século XIX com o modernismo do Século XX. Em vida, era reconhecido como um grande maestro e compositor, porém suas músicas foram proibidas na Europa durante a ocupação nazista até 1945. Quando suas composições foram redescobertas, Mahler passou a ser defendido por uma nova geração de ouvintes e se tornou um dos compositores mais executados e gravados até hoje.

Morreu em 1911 em Viena, após ter contraído uma infecção generalizada quando trabalhava como convidado com a Orquestra Filarmônica de Nova York.

SERVIÇO: Sinfonia nº9 de Mahler.

Data: 15 (domingo).

Horário: 10h30.

Local: Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto (Guairão) – Rua Cons. Laurindo, s/nº, Centro – Curitiba – Paraná.

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Foto: Kraw Penas/SEEC

Continuar Lendo

Cidades

A 53ª Festa da Uva de Colombo já tem Rainha e Princesas eleitas

Publicado

em

COLOMBO – Foi eleita na noite deste sábado, 14, a corte da tradicional Festa da Uva de Colombo 2016, que acontecerá entre os dias 28, 29, 30 e 31 de janeiro. Andriely Kariny Simão foi eleita a rainha da edição de 2016 do evento. Ela terá ao lado como princesas Débora Milani e Isabele Caroline Santos Soares da Silva. Já o título de miss simpatia ficou para a Jhenifer de Souza.

O anúncio aconteceu no Pavilhão de Eventos do Parque Municipal da Uva, em Colombo. No evento, as 19 candidatas, a soberana da tradicional festa desfilaram e foram avaliadas pelos sete jurados que compuseram a mesa julgadora.

O evento contou com a apresentação do jornalista Rodrigo Leite e da modelo Raphaela Lima e tiveram como apoio sete jurados para avaliar as 19 candidatas que ocuparam a passarela em três momentos. Também foram apresentados vídeos onde foi possível acompanhar a preparação das candidatas durante a semana.

Em seguida, retornaram à passarela para um novo desfile coletivo com vestidos sociais. A terceira etapa do concurso foi realizada por meio de um desfile individual quando cada candidata, ao final, respondia a uma das seis perguntas da organização que tratavam sobre a cultura italiana, o município de Colombo, a Festa da Uva, e o porquê ser Rainha da Festa da Uva. Ao final do concurso, a atual rainha que representou a festa em 2015, Ana Steff passou à coroa a rainha eleita, Andriely Kariny Simão.

Jurados

A mesa julgadora foi composta pelo secretário de Estado da Cultura do Paraná, João Luiz Fiani, a consultora de marketing da TV Band, Cássia Prado, a dupla sertaneja curitibana, Paulinho e Leandro, o produtor de vídeo, Carlos Tafarello, o diretor de Cultura de Pinhais, Laércio Sobral, e também pelo jornalista da Rádio Banda B, Geovane Barreiro. Os critérios para escolha foram estabelecidos de acordo com o regulamento do evento e da Comissão Organizadora da Festa da Uva.  Já a apresentação musical ficou por conta da dupla Guilherme e Luiz Fernando com a participação especial da dupla Paulinho e Leandro.

Autoridades presentes

Entre as autoridades presentes estavam: O vice-prefeito, Ademir Goulart; o secretário de Fazenda, Márcio Strapasson; o secretário de Comunicação Social, Amauri Cardozo; secretário de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Antonio Ricardo Milgioransa; o secretário de Agricultura e Abastecimento, Márcio Toniolo; secretário de Obras e Viação, Agnaldo Santos; os vereadores, Sidinei Campos, Dolíria Strapasson, Pelé, Ratinho e Sérgio Pinheiro. E, também o superintendente da Colombo Previdência, Eliseu Ribeiro.

 

Fotos: Márcio Fausto/PMC

Continuar Lendo

Social

Restaurante Rural Sonho Encantado inaugura em Quatro Barras

Publicado

em

 

Quatro Barras tem uma nova opção em gastronomia rural, inaugurou no domingo (14), o Restaurante Rural Sonho Encantado na estrada da Graciosa em Quatro Barras, o evento contou com a presença de convidados e amigos. Quem compareceu, aprovou o cardápio. Para a entrada, mesa de frios, licor de morango e laranja (produção própria), Buffet de massas, porco a pururuca e acompanhamentos como o feijão tropeiro e sobremesas.

As anfitriãs Cyntia e Noeli Mocellin contam que o espaço foi construído com carinho pela família. “É uma empresa familiar, estamos muito felizes, tudo foi construído com muito trabalho e, para nós, é de uma importância porque sempre trabalhamos com alimentação e agora temos nosso próprio local, unimos o útil ao agradável, abrimos o restaurante no local onde moramos. Estamos cercados pela natureza, estamos compartilhando esse lugar maravilhoso com nossos clientes e tudo isso acompanhado de uma excelente gastronomia”, afirma.

As anfitriãs Cyntia e Noeli Mocellin

As anfitriãs Cyntia e Noeli Mocellin

A empresária explica que o cardápio estará disponível semanalmente na página no facebook: ruralsonhoencantado. “Estaremos disponibilizando o cardápio em nossa página. Teremos todas as semanas Buffet de massas acompanhado de um cardápio bem variado como,  Leitão a pururuca, barreado, feijoada e acompanhamentos, sempre baseados no rural, no caseirinho, fogão a lenha, massas artesanais feitas por nossa equipe, tudo preparado com muito carinho”, ressalta.

Em harmonia com a natureza

Cercada pela natureza, ar puro, mais que um restaurante, um local para apreciar a beleza da Serra e passar horas agradáveis com a família e amigos. Na área de lazer, o local oferece parque infantil, bosque com redes, quadra de futebol, de vôlei, açudes e muito mais.

Produtos coloniais

Quem quiser pode adquirir produtos coloniais como pães, geleia de morango orgânico, queijo colonial, biscoito caseiro, conservas, licor de morango e de laranja.

Atendimento

Atendimento aos sábados e domingos a partir das 11h. As reservas podem ser feitas pelos telefones: (41) 3672-2491/3672-1956/9118-6926

O Restaurante Rural Sonho Encantado faz parte do Roteiro Turístico Caminhos Históricos da Serra em Quatro Barras e está localizado na Travessa Cantareira, N0 550 (Segue pela Estrada da Graciosa sentido Morretes até a pedreira Basalto).

Da redação-Por Jane Rita/Fotos:Valdir Lentcsh/Facedanoticia

Foto V. Lentcsh-Facedanotícia1

Foto V. Lentcsh-Facedanotícia2 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia3 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia4 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia6 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia7 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia8 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia9 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia10 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia11 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia12 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia13 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia14 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia15 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia16 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia17 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia18 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia19 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia20 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia21 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia22 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia23 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia24 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia25 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia26 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia27 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia28 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia29 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia30 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia31 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia33 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia34 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia35 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia37 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia38 Foto V. Lentcsh-Facedanotícia336

 

 

Continuar Lendo

Tendência