Turismo e Lazer

Quatro Barras está sediando a 8ª Semana da Montanha do Paraná

Publicado

em

O município de Quatro Barras está sediando a 8ª edição da Semana da Montanha do Paraná. Abrindo o cronograma de atividades, o evento realizado pelo Clube Paranaense de Montanhismo, em parceria com a Prefeitura Municipal e parceiros teve início na segunda-feira (16) com palestras sobre o histórico do montanhismo e do alpinismo, e sobre a escalada em rochas e suas modalidades.

Nesta terça, estiveram em pauta a escalada esportiva como esporte olímpico, escaladas no campo escola de montanha do Anhangava e no Parque Nacional do Yosemite, na Califórnia, com a presença dos palestrantes Willian Feitosa Vieira, Ronaldo Franzen Nativo e Irivan Burda.

A programação segue nesta quarta com novos encontros. Às 19h Waldemar Niclevicz falará sobre o Ambiente de Alta Montanha, às 20h Erminio Ginatti vai comentar sobre as escaladas no Marumbi e às 21h Camila Macedo vai abordar as escaladas de blocos. Todos os eventos acontecem no auditório da Secretaria Municipal de Educação de Quatro Barras.

Na quinta-feira, à partir das 19h, estão programadas novas palestras e rodas de conversas. Entre os temas estarão socorros urgentes em locais remotos, com representantes do GOST – Grupamento de Operações de Salvamento Tático do Corpo de Bombeiros; a apresentação da Unidade de Conservação Parque Estadual da Serra da Baitaca, com servidores do IAP; e os 13 cumes mais altos do Brasil, demonstrados pelo professor do Instituto ETIBAJI, Édio Furlanetto.

Na sexta-feira (20) a troca de conhecimentos vai discorrer sobre o vôo de montanha, a escalada tradicional e as escaladas na Patagônia, encerrando o ciclo de palestras. No sábado (21) iniciam as etapas práticas. Às 8h haverá atividades na montanha, com guias do Clube Paranaense de Montanhismo, nos períodos da manhã e da tarde. Às 9h acontece o Seminário de Mínimo Impacto – Abertura e Manutenção de Vias de Escalada em Rocha; e das 10h às 17h haverá muro de escalada no pátio da Secretaria Municipal de Educação.

O evento encerra no domingo (22) com novas atividades na montanha às partir das 8h e um desafio para as crianças no muro de escalada instalado no pátio da Secretaria de Educação.

Em tempo: Participe da programação! A rodada de palestras acontece na Rua Nilo Fávaro, nº 100, no Centro de Quatro Barras. Mais informações: (41) 3671-8879.

 

 

Confira a PROGRAMAÇÃO – Copia

Continuar Lendo
Click para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo e Lazer

Paraná estuda criação de geoparque na região Centro-Sul

Publicado

em

Localizado no Centro-Sul do Estado, o município de Prudentópolis possui um rico patrimônio natural e imaterial e é cotado para ser o primeiro geoparque do Paraná. Apesar do nome, o termo não se refere a um parque, mas a uma área com limites bem definidos, onde locais e paisagens de grande relevância geológica, aliadas aos outros bens naturais e culturais da região, são integrados em estratégias de desenvolvimento territorial.

 

A iniciativa é do Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, em parceria com o Instituto PR-Turismo, Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Prefeitura de Prudentópolis.

Um geoparque constitui uma atração turística internacional com cunho científico, por ser uma área de interesse arqueológico e que conta a história da formação da Terra e das transformações ao longo dos bilhões de anos. As estratégias envolvem a conservação da natureza, a educação e a promoção do desenvolvimento econômico sustentável das comunidades locais.

 

De acordo com o diretor de Gestão Territorial do IAT, Mozarte de Quadros Júnior, o projeto do geoparque coloca mais uma vez o Paraná na rota internacional dos parques da Unesco. “Temos a Floresta de Mata Atlântica e as Cataratas do Iguaçu que já fazem parte dessa rota. O geoparque vem para somar o potencial turístico e ecológico do Estado”, disse.

 

NA PRÁTICA – A criação de um geoparque leva em conta o patrimônio geológico. A ele, unem-se os demais bens patrimoniais como arqueologia, antropologia, história, esportes, cultura e artes.

 

Gil Piekarz, geólogo da Divisão de Geologia da Diretoria de Gestão Territorial do IAT, destaca que um geoparque é para a sociedade. “É para a comunidade se unir em um trabalho conjunto para celebrar o território. A Terra tem 4,6 bilhões de anos com montanhas e rochas de origem marinha que precisam ser preservadas para as futuras gerações, o avanço da geociência e uso turístico”, explica.

 

Hoje, existem 145 Geoparques Mundiais da Unesco e muitos outros em redes nacionais e continentais. O Brasil possui um geoparque na rede da Unesco – o  Geoparque Chapada do Araripe, no Ceará.

 

Neste ano, dois projetos de geoparques brasileiros tiveram seus dossiês aceitos para, em breve, fazerem parte da rede Unesco: o geoparque Seridó, no Rio Grande do Norte (RN), e o geoparque Caminhos dos Cânions do Sul, divisa entre Santa Catarina (SC) e Rio Grande do Sul (RS).

Muitas outras áreas no território brasileiro estão em estudo, entre elas o futuro geoparque de Prudentópolis.

PRUDENTÓPOLIS – O município de Prudentópolis se enquadra nas características de um geoparque por possuir um patrimônio geológico relevante.

 

A região conta com cachoeiras e cânions, árvores petrificadas de milhões de anos, a Escarpa da Serra da Esperança, fósseis de idade permiana, belíssimos afloramentos do Aquífero Guarani, cavernas e paleotocas. Além disso, concentra expressiva cultura ucraniana, religiosidade, museus, prováveis casas indígenas da tribo Kaingangue, um significativo patrimônio arqueológico e os faxinais, entre outros bens naturais e imateriais.

 

COMO SURGIRAM – A ideia da criação de geoparques nasceu em 1997, em um congresso de geologia em Beijing, na China. Em 2000 foi criada a rede europeia com quatro geoparques (França, Espanha, Alemanha e Grécia, um em cada país). Em 2004 foi instituída, na sede da Unesco, em Paris, a rede global, envolvendo 17 geoparques europeus e oito chineses.

Em novembro de 2015, durante a 38ª conferência geral da organização, os 195 estados-membros da Unesco ratificaram a criação de uma nova categoria para a conservação e proteção: Geoparques Mundiais da Unesco. (ANPR)

Salto e Canion São João. Foto: Divulgação/IAT
Salto São Francisco Foto: Divulgação/IAT

Continuar Lendo

Turismo e Lazer

Conservatório de MPB abre inscrições para novos alunos

Publicado

em

CURITIBA – O Conservatório de Música Popular Brasileira (MPB) abrirá, nesta quarta-feira (8/7), a primeira fase de inscrições de novos alunos para os 21 cursos regulares ofertados pelo espaço cultural. Como no primeiro período deste ano, todos serão on-line, para manter o público em casa e ajudar no controle da disseminação da covid-19. O prazo vai até 28 de julho, pelo site www.conservatoriodempb.com.br.

Os cursos são pagos e distribuídos em quatro modalidades: canto, instrumentos (acordeom, bandolim, bateria, canto popular, cavaquinho, clarinete, flauta transversal, guitarra, percussão, piano, saxofone, trombone, trompete, violão, viola caipira e violão 7 cordas), teoria (Leitura e Estruturação Musical/LEM, harmonia funcional, história da MPB e composição e arranjo instrumental em MPB) e para crianças (bateria, violão e piano). As aulas começam em 17 de agosto.

Também em decorrência das medidas sanitárias para conter a pandemia, desta vez não será oferecida a opção Práticas de Conjunto. Como o aprendizado precisa se dar em aulas presenciais, ela retornará à grade de cursos em 2021.

Para se inscrever e cursar

Para a primeira fase, o candidato deverá consultar o edital e preencher a ficha de inscrição. O procedimento é grátis. A lista de selecionados será publicada em 31 de julho. Os selecionados serão submetidos a um teste de nivelamento, também on-line, entre os dias 3 e 5 de agosto. A lista com os aprovados estará disponível em 7 de agosto.

As matrículas deverão ser feitas entre 10 e 14 de agosto. Cada candidato poderá se inscrever em mais de um curso. Os aprovados na fase final e que estiverem matriculados como pagantes em cursos de instrumentos ou canto poderão cursar gratuitamente uma disciplina teórica.

O Conservatório

Mantido pela Fundação Cultural de Curitiba e administrado pelo Instituto Curitiba de Arte e Cultura (Icac), há quase 27 anos o Conservatório de MPB é o centro público de referência em música popular brasileira em Curitiba. Desde 1993, ele reúne no número 66 da Rua São Francisco, no Centro Histórico, professores e estudantes dedicados ao ensino, à pesquisa, produção e divulgação de eventos artístico-culturais no segmento.

A cada semestre, o espaço cultural registra cerca de 900 alunos buscando aprendizado e aperfeiçoamento a preços acessíveis, com o suporte de professores experientes. Além disso, mantém quatro grupos artísticos: as orquestras à Base de Sopro e à Base de Corda, o Coral Brasileirinho, o Vocal Brasileirão e o Grupo Brasileiro.

Serviço: Conservatório de MPB – admissão de novos alunos

Inscrições: 8 a 28 de julho pelo site www.conservatoriodempb.com.br, grátis

Valores:
Cursos de instrumentos ou canto (aulas em grupo) – 5 x R$ 120
Curso de clarinete (aulas em dupla) – 5 x R$ 160
Disciplinas teóricas (aulas em grupo) – 5 x R$ 50

Informações: secretariacmpb@curitiba.pr.gov.br
Informações pedagógicas: marielopes@curitiba.pr.gov.br
Início das aulas – 17/8

Cursos ofertados (todos on-line)
A partir de 13 anos completos: acordeom, bandolim, bateria, canto popular, cavaquinho, clarinete, flauta transversal, guitarra, percussão, piano, saxofone, trombone, trompete, violão, violão 7 cordas e viola caipira. Carga horária: 16 aulas de 1h.

Composição e arranjo instrumental em MPB, LEM (Linguagem e Estruturação Musical), harmonia funcional e história da MPB. Carga horária: 16 aulas de 2h.

Crianças e 7 a 12 anos: bateria, piano e violão. Carga horária: 16 aulas de 1h.

(Fonte: SCPMC/FOTO: Divulgação)

Continuar Lendo

Turismo e Lazer

Estado recebe área da União para a Base Náutica de Guaratuba

Publicado

em

A União autorizou a cessão ao Governo do Estado de um imóvel para a implantação da Base Náutica de Guaratuba, no Litoral. Localizada na Rua Capitão João Pedro, no Centro da cidade, a área tem cerca de 2,5 mil metros quadrados, incluindo terrenos da Marinha, e conta também com um espaço físico de 520 metros quadrados construído em águas públicas.

A portaria da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União que autoriza a cessão foi publicada no Diário Oficial da União de segunda-feira (06).

A Base Náutica contará com um ancoradouro para embarque e desembarque, com capacidade para três embarcações simultaneamente, além de um receptivo náutico para atendimento ao público e estacionamento.

 “Este é mais um projeto do Governo do Estado para o desenvolvimento do Litoral paranaense”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Guaratuba e os outros municípios litorâneos têm muitas belezas e uma capacidade enorme de receber mais turistas. O governo busca incentivar e prover a infraestrutura para ampliar essa visitação, o que gera emprego e renda na região”, diz.

PROJETO – A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo e a Paraná Turismo já contam com um projeto para a ocupação do local, elaborado pela Paraná Edificações. A previsão é que seja feita uma concessão à iniciativa privada, processo que está em fase de estudo e de viabilidade, para avaliar como será a construção e a gestão da Base Náutica.

 A locação ou arrendamento do imóvel para exploração comercial estão previstos na portaria, desde que sejam feitos os procedimentos licitatórios previstos em lei.

“O terreno locado em Guaratuba pertence à União e o Estado precisava dessa autorização para poder utilizar o espaço”, explica a diretora Técnica da Paraná Turismo, Isabella Tioqueta. “A cessão de uso nos adianta uma etapa e facilita o processo de concessão”, ressalta.

CESSÃO – De acordo com a portaria, o prazo de cessão do imóvel será de dez anos, contados a partir da assinatura do contrato, prorrogável pelo mesmo período. A implantação da Base Náutica tem um prazo de 24 meses após a assinatura, que é condicionada à obtenção de todos os licenciamentos, autorizações, documentos e alvarás necessários ao funcionamento da estrutura náutica. (ANPr)

 

Estado recebe área da União para a Base Náutica de Guaratuba. Foto: Divulgação/PRTUR

Continuar Lendo

Tendência