Notícias

Ponte da Integração Brasil-Paraguai atinge quase 45% de execução

Publicado

em

A Ponte da Integração Brasil – Paraguai atingiu quase 45% de execução em novembro, um ano e três meses após o início da construção, no Rio Paraná, em Foz do Iguaçu (Oeste). Nesta terça-feira (01), o governador Carlos Massa Ratinho Junior recebeu os presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benítez e os acompanhou na vistoria à obra. A visita foi uma comemoração ao estágio da construção. O governador é um dos responsáveis pela articulação com a Itaipu Binacional para tirar o projeto do papel.

A ponte tem como objetivo principal desafogar o trânsito intenso da Ponte da Amizade, construída nos anos 1960, e consolidar o Estado como um hub logístico e de turismo da América do Sul. As obras são executadas dentro de um convênio entre Itaipu Binacional e o governo federal com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Logística e o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR).

O presidente Jair Bolsonaro disse que a obra representa um “casamento perfeito” entre Brasil, Paraguai e o Paraná. “Nosso relacionamento é excelente, só pode produzir frutos como esse. É uma obra de integração. O Paraguai não é nosso vizinho, é nosso irmão”, disse. Ele também destacou a geração de cerca de 500 empregos diretos (85% de operários da região) e 1.500 indiretos na cadeia de fornecedores.

O governador Ratinho Junior destacou a parceria estratégica com a governo federal e a Itaipu Binacional, propondo uma nova era de desenvolvimento para o Paraná. “É uma conquista histórica do Estado e que atrairá novos investimentos, novos empregos. A ponte é um marco arquitetônico, turístico e de integração entre os dois países”, afirmou.

Segundo o diretor-geral brasileiro de Itaipu Binacional, Joaquim Silva e Luna, a obra respalda o planejamento estratégico do Governo do Estado para a região Oeste. “Está interligada com as demais intervenções de Itaipu no Estado, alinhadas com o governador Ratinho Junior”, afirmou. “É uma obra fundamenta para a região da tríplice fronteira, para o Paraná e para o Brasil”.

PONTE – A segunda ponte internacional sobre o Rio Paraná e a nova perimetral até a BR-277, que acompanha a obra, terão investimentos de R$ 463 milhões da Itaipu Binacional. A ponte, estimada em R$ 323 milhões, está sendo construída nas proximidades do Marco das Três Fronteiras, ligando Foz do Iguaçu à cidade paraguaia de Presidente Franco.

A estrutura terá 760 metros de comprimento e vão-livre de 470 metros, o maior da América Latina. Serão duas pistas simples com 3,6 metros de largura, acostamento de 3 metros e calçada de 1,70 metro nas laterais. A previsão é que a obra seja entregue em 2022. Ela será maior que a Ponte Internacional da Amizade e está localizada cerca de 10 quilômetros abaixo dela, em direção ao Rio Iguaçu.

Atualmente as obras se concentram na continuidade da construção das pernas do mastro (peça mais alta que irá compor a estrutura e que serve de apoio para os estaios que darão estabilidade ao tabuleiro/pista) do lado brasileiro. Essa estrutura em formato de Y invertido terá 190 metros de altura, tamanho de um prédio de 60 andares.

Também há uma frente importante de trabalho na pista. Entre os dias 24 e 26 de novembro foi realizado o segundo empurramento no lado brasileiro, de mais 27 metros, deixando a pista a apenas dois pilares de sustentação do Y principal. Ela está sendo montada num movimento de encaixe no molde que avança paulatinamente sobre o rio, respeitando a concretagem sobre uma estrutura metálica de 60 toneladas, que depois é empurrada para frente para possibilitar a nova concretagem.

“É um dos maiores empreendimentos do País e monumento de turismo e de desenvolvimento econômico para Foz do Iguaçu. Estamos com as maiores tecnologias, tudo o que tem de melhor na engenharia”, disse o engenheiro André Toledo, responsável pelo consórcio Construbase-Cidade-Paulitec, que fez uma apresentação para a comitiva que visitou a obra. “É uma obra que exigiu muito planejamento, uma tecnologia inovadora de estudo de solo através de filmagens, e engenheiros com 70 anos de idade e outros com 30 anos e novas ideias”.

Assim como no lado brasileiro, o lado paraguaio já conta com sua caixa de equilíbrio e os seis principais pilares em plena forma. Os trabalhos do outro lado da fronteira se concentram na instalação da estrutura metálica e da concretagem do primeiro pedaço, que será empurrado assim que a pista atingir os primeiros 30 metros.

Também há, nos dois lados do rio, programas ambientais de preservação do solo, da fauna e da flora, respeitando as contrapartidas exigidas no contrato para minimizar os efeitos socioambientais da obra.

PROJETO – O projeto foi concebido originalmente por uma comissão mista entre Brasil e Paraguai em 1992, mas foi deixado de lado com o decorrer dos anos por falta de dinheiro ou interesse diplomático. Também houve problemas ambientais no início da execução, em 2014, e a obra foi paralisada. Quando houve avanços nas questões legais não havia recursos e a entrada da Itaipu Binacional nessa estratégia foi fundamental para resolver todas as pendências.

Como contrapartida da diretoria paraguaia de Itaipu Binacional, haverá uma nova ponte, também bancada pela estatal, entre Carmelo Peralta (Paraguai) e Porto Murtinho (Mato Grosso do Sul). Essa nova ponte auxiliará na estratégia da criação de um corredor bioceânico ligando os portos paranaenses ao Porto de Antofagasta, no Chile.

PERIMETRAL – A perimetral que faz parte da obra vai permitir que caminhões procedentes da Argentina e do Paraguai acessem diretamente a BR-277 na altura do Posto Paradão, reduzindo o fluxo de veículos pesados na área urbana de Foz do Iguaçu. A ponte também terá acesso facultado a veículos menores e turistas.

A perimetral do lado brasileiro está prevista para começar a sair do papel em 2021 e inclui toda a estrutura necessária para a aduana na chamada zona primária. As licenças do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) foram concedidas em novembro deste ano. Ela terá 15 quilômetros de extensão, três viadutos, duas travessias e duas aduanas, com investimento de R$ 174 milhões.

A perimetral do lado paraguaio será de responsabilidade do governo local e terá 35 quilômetros de extensão, com um viaduto, duas pontes, um trevo, um centro integrado de cargas e uma área de controle primário. A obra está orçada em US$ 172 milhões. Da mesma forma, na outra ponte ligando os dois países, cada um deles será responsável pela construção da sua respectiva perimetral.

PRESIDENTE EM FOZ – Esta foi a quarta visita do presidente Jair Bolsonaro a Foz do Iguaçu e a sexta ao Paraná em menos de dois anos do mandato. A primeira ocorreu na posse de Joaquim Silva e Luna como diretor-geral brasileiro da Itaipu, em 2019; a segunda, em maio do mesmo ano, no lançamento da pedra fundamental da Ponte da Integração e na ativação do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sul (CIISP-Sul), em Curitiba; e em agosto de 2020, no lançamento da pedra fundamental da duplicação de um trecho de 8,7 quilômetros da BR-469, a Rodovia das Cataratas.

No mês passado, o presidente esteve em Renascença, no Sudoeste do Paraná, para o lançamento da continuidade da revitalização de um trecho de 46 quilômetros da Estrada Boiadeira, entre Porto Camargo e Umuarama, que terá aporte de R$ 223,8 milhões da usina de Itaipu.

REUNIÃO BILATERAL – Logo depois do evento, os presidentes Bolsonaro e Benítez e suas respectivas comitivas diplomáticas foram ao Hotel Recanto Cataratas para uma reunião bilateral de trabalho.

PRESENÇAS – Estiveram presentes na visita o diretor-geral paraguaio de Itaipu, Ernst Ferdinand Schmidt; o governador de Alto Paraná, Roberto González Vaesken; o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e da Casa Civil, Walter Braga Netto; a ex-governadora Cida Borghetti; deputados federais e estaduais; diretores de Itaipu; o secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex; o diretor-geral do DER-PR, Fernando Furiatti; o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; e autoridades diplomáticas dos dois países. 

 

Foto: RODRIGO FELIX LEAL/AENPR
Foto: JONATHAN CAMPOS/AEN

Notícias

Ministério da Saúde confirma remessa com 228.150 doses para adolescentes sem comorbidades

Publicado

em

O Ministério da Saúde confirmou nesta segunda-feira (18) o envio de mais 318.240 doses da vacina Pfizer/BioNTech ao Paraná. Desse total, 228.150 doses são exclusivas para a população de 12 a 17 anos, sem comorbidades ou pertencentes a grupos prioritários. É a primeira remessa do governo federal direcionada aos adolescentes em geral.

Além dos imunizantes para os jovens, o novo lote inclui ainda 90.090 vacinas para segundas doses (D2), referente à 40ª pauta do Ministério da Saúde.

A remessa faz parte da 59ª pauta de distribuição do MS e chega ao Estado nesta terça-feira (19). Uma parte das vacinas desembarca no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, às 18h40, no voo G3 1108. O restante do lote está previsto para às 19h10, no voo LA 4721.

As doses serão encaminhadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) para conferência e armazenamento até que sejam distribuídas para as Regionais de Saúde.

Um levantamento da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), publicado na semana passada, registrou que pelo menos 347 municípios já iniciaram a vacinação contra a Covid-19 em adolescentes sem comorbidades utilizando remanescente da reserva técnica. Com este novo quantitativo, os municípios poderão iniciar o esquema vacinal deste público ou dar continuidade à imunização.

DOSES – Até agora, o Paraná recebeu 102.532 doses para a população de 12 a 17 anos pertencente a grupos prioritários, sendo 99.450 para jovens com comorbidades e deficiência permanente e 3.082 doses direcionadas para adolescentes indígenas. De acordo com os dados do Vacinômetro nacional, o Paraná já aplicou 249.472 doses em adolescentes.

No total, já são 14.508.458 vacinas contra a Covid-19, sendo 8.311.791 D1 e 5.693.266 D2. Além disso, o Estado também registra a aplicação de 23.579 doses adicionais (DA) e 152.005 DR. (Foto: Américo Antonio/SESA)

Continuar Lendo

Notícias

Com incremento no turismo, volume de serviços avança no Paraná em agosto

Publicado

em

As atividades turísticas tiveram uma expansão de 5,4% em agosto deste ano no Paraná, o segundo melhor desempenho do País, atrás apenas de Goiás (8,8%). Esse é um dos destaques do Estado no levantamento divulgado nesta quinta-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No geral, o volume de serviços, que agrega as atividades turísticas, cresceu 1% no Paraná em agosto, à frente da média nacional (0,5%). É a sexta evolução mensal consecutiva, com crescimento desde fevereiro, reforçando os índices de expansão da economia local.

No comparativo com o mesmo mês do ano passado, a evolução foi de 16,1% e no acumulado do ano (janeiro a agosto) a alta é de 8%. Nos dois casos a relação é com momentos mais duros da pandemia da Covid-19 sobre a economia, principalmente no setor que reúne hotéis, academias, escolas, bares e eventos, entre outros.

“A retomada econômica está acontecendo em um ritmo bastante acelerado no Paraná. Além do bom desempenho do comércio, um setor bastante impactado pela crise sanitária, o Estado apresenta resultados positivos consecutivos na geração de empregos com carteira assinada e também na indústria. O fim de ano será efetivamente bem melhor, servindo de sustentação para que em 2022 o avanço seja maior”, destacou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

“É bom ver também o turismo se recuperando, uma fonte limpa de geração de renda. O Paraná tem uma série de atrativos e está se preparando para receber muitos visitantes na próxima temporada de férias”, acrescentou.

Segundo o IBGE, foi o sexto resultado seguido com crescimento no volume de serviços, após evoluções de 2,4% em fevereiro; 0,8% em março; 1,7% em abril; 0,9% em maio; 1,4% em junho e 1,5% em julho.

O desempenho ao longo desses oito meses foi puxado por Transporte, Serviços Auxiliares aos Transportes e Correio (10,8%), Serviços Prestados às Famílias (8,1%), Serviços Profissionais, Administrativos e Complementares (7,5%) e Serviços de Informação e Comunicação (4,8%).

O levantamento aponta que o segmento de transportes foi estimulado pelo aumento de receita das empresas pertencentes aos ramos de transporte rodoviário de cargas, transporte aéreo de passageiros, gestão de portos e terminais, rodoviário coletivo de passageiros, navegação de apoio marítimo e portuário, e atividades de agenciamento marítimo.

TURISMO  O desempenho do turismo paranaense – crescimento de 5,4% no mês – coloca o Estado à frente de Ceará (5,1%), Pernambuco (3,9%), Bahia (1,4%), Rio de Janeiro (-1,1%) e Santa Catarina (-1,6%). A média nacional ficou em 4,6%.

Já no acumulado do ano a variação foi 10,4% superior ao mesmo período do ano passado. Frente a agosto de 2020, o índice de volume de atividades turísticas no Estado cresceu 30%, impulsionado principalmente pelo aumento na receita de empresas que atuam nos ramos de hotéis; transporte aéreo; restaurantes; rodoviário coletivo de passageiros; locação de automóveis; e serviços de bufê.

De acordo com o IBGE, desde o começo da pandemia, há ganho acumulado de 49,1% no setor, a nível nacional. Contudo, o segmento de turismo ainda necessita crescer 20,8% para retornar ao patamar de fevereiro de 2020. (Foto: José Fernando Ogura/ANPr)

Continuar Lendo

Notícias

Semana começa com 9.588 vagas ofertadas pelas Agências do Trabalhador

Publicado

em

As 216 Agências do Trabalhador do Estado ofertam nesta semana 9.588 vagas de empregos com carteira assinada em empresas do Paraná. Destas, 1.959 estão disponíveis nas agências de Curitiba e Região Metropolitana.

O Paraná é o Estado que mais gerou vagas no Sul do Brasil no primeiro semestre de 2021, um dos resultados do esforço do Governo para a recuperação da economia.

“O Paraná é o Estado que mais empregou pelo sistema Sine, em números absolutos. Os resultados das nossas Agências do Trabalhador são melhores do que de estados mais populosos, como São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro”, afirma o secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.

A Agência do Trabalhador de Curitiba disponibiliza vagas de contratação imediata para: chefe de depósito (10 vagas), padeiro (2 vagas), recepcionista de casa de espetáculo (2 vagas), serralheiro (1 vaga) e torneiro mecânico (1 vaga).

A regional de Toledo destaca-se com o maior número de vagas do Interior, com 1.472 postos de trabalho. São 590 para auxiliar de linha de produção. A regional de Cascavel está em segundo, com 1.093 vagas, e o maior número de oportunidades também é para auxiliar de linha de produção, com 343.

ATENDIMENTOS – Os interessados em alguma das vagas ofertadas devem buscar orientações entrando em contato com a Agência do Trabalhador de seu município.

A Agência do Trabalhador de Curitiba voltou a atender o público de forma presencial. Para evitar aglomeração, e respeitando todas as orientações das autoridades sanitárias, o atendimento é feito somente com horário marcado, das 9h às 17h.  (Foto: AEN)

Continuar Lendo

Tendência