Saúde

Paraná distribuirá 742,9 mil doses nesta semana; trabalhadores da educação serão contemplados

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde começa a distribuir nesta terça-feira (18) 742.910 doses de vacinas contra a Covid-19 para as 22 Regionais de Saúde. O montante soma um residual da 18ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde, além do total da 19ª e 20ª pautas. Serão entregues imunizantes dos três laboratórios que atendem o Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 até o momento.

Cerca de 22.230 doses do imunizante Comirnaty da Pfizer/BioNTech serão enviados para os municípios de Londrina, Cascavel e Maringá. São doses da 18ª pauta. O restante da farmacêutica norte-americana (45,6 mil doses) já foi enviado para Curitiba. Elas são destinadas a comorbidades/gestantes/puérperas.

Da 19ª pauta, serão mais 118 mil doses da AstraZeneca/Fiocruz destinadas para segunda dose (D2) de pessoas de 65 a 69 anos do esquema vacinal iniciado na 13ª pauta e 188.800 doses de CoronaVac para D2 para conclusão dos esquemas já iniciados. O Estado recebeu esses imunizantes na última quinta-feira (13).

Além disso, o Estado recebeu nesta segunda-feira (17) mais 374.100 doses da AstraZeneca/Fiocruz. Elas estão relacionadas no anexo da 20ª pauta de distribuição do governo federal. O Paraná aguarda para esta terça-feira (18) 39.780 doses da Pfizer/BioNTech.

“Pretendemos enviar todas essas doses para as Regionais de Saúde ainda esta semana, após a organização e separação dos lotes e quantitativos, para que a logística de distribuição aos municípios seja facilitada e o processo de imunização continue mais rapidamente em todo o Estado”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

OUTROS GRUPOS – Segundo a Secretaria de Saúde, a nova remessa possibilitará ajustes em grupos prioritários. Aproximadamente 145 mil doses de AstraZeneca/Fiocruz dessa 20ª pauta de 413.880 vacinas contra a Covid-19 serão destinadas para primeira dose (D1) dos seguintes grupos: trabalhadores da saúde (88 mil doses) que ainda não foram vacinados, trabalhadores da educação (22 mil doses) e pessoas com comorbidades e deficiência (33.532 doses).

As outras 229.100 doses do mesmo imunizante serão destinadas para D2 de pessoas de 60 a 64 anos e 65 a 69 anos seguindo a complementação do esquema vacinal iniciado na 13ª e 14ª pauta.

DISTRIBUIÇÃO – A distribuição das novas doses será feita com apoio das aeronaves do Governo do Estado, repetindo a logística adotada até o momento, e a expectativa é de vacinação acelerada nos próximos dias, uma vez que os grupos impactados já estão sendo imunizados. A Sesa já fez a divisão de doses por Regional de Saúde de parte das pautas (veja abaixo). Há uma indefinição ainda em relação ao novo lote da Pfizer, que chega nesta terça.

VACINAÇÃO – Quase 5 milhões de doses, incluindo as vacinas da Pfizer, já chegaram ao Paraná. Mais de 4 milhões já foram distribuídas e 3,2 milhões foram aplicadas. Segundo o Vacinômetro, até esta terça-feira foram aplicadas 2.145.274 como D1 e 1.109.785 como D2.

Confira o quantitativo das vacinas já definido por Regional de Saúde

18ª pauta – Pfizer

Curitiba – 45.630 (já entregues)

Cascavel – 7.020

Maringá – 9.360

Londrina – 5.850

19ª pauta

AstraZeneca/Fiocruz

1ª Paranaguá – 3.025

2ª Metropolitana – 35.215

3ª Ponta Grossa – 5.615

4ª Irati – 1.655

5ª Guarapuava – 4.385

6ª União da Vitória – 1.680

7ª Pato Branco – 2.750

8ª Francisco Beltrão – 3.945

9ª Foz do Iguaçu – 4.095

10ª Cascavel – 5.570

11ª Campo Mourão – 3.800

12ª Umuarama – 3.180

13ª Cianorte – 1.620

14ª Paranavaí – 2.935

15ª Maringá – 9.535

16ª Apucarana – 4.230

17ª Londrina – 11.160

18ª Cornélio Procópio – 2.865

19ª Jacarezinho – 3.260

20ª Toledo – 4.315

21ª Telêmaco Borba – 1.600

22ª Ivaiporã – 1.565

Total: 118.000

CoronaVac/Butantan

1ª Paranaguá – 7.630

2ª Metropolitana – 16.390

3ª Ponta Grossa – 6.460

4ª Irati – 810

5ª Guarapuava – 5.780

6ª União da Vitória – 1.070

7ª Pato Branco – 900

8ª Francisco Beltrão – 2.630

9ª Foz do Iguaçu – 1.130

10ª Cascavel – 430

11ª Campo Mourão – 800

12ª Umuarama – 780

13ª Cianorte – 480

14ª Paranavaí – 3.850

15ª Maringá – 3.940

16ª Apucarana – 9.840

17ª Londrina – 10.260

18ª Cornélio Procópio – 8.120

19ª Jacarezinho – 2.940

20ª Toledo – 3.820

21ª Telêmaco Borba – 3.370

22ª Ivaiporã – 1.150

Total: 92.580 – A outra parte dessa remessa da Coronavac será entregue numa outra distribuição.

20ª pauta

AstraZeneca/Fiocruz – D2 

1ª Paranaguá – 5.955

2ª Metropolitana – 68.865

3ª Ponta Grossa – 11.135

4ª Irati – 3.205

5ª Guarapuava – 8.525

6ª União da Vitória – 3.275

7ª Pato Branco – 5.305

8ª Francisco Beltrão – 7.690

9ª Foz do Iguaçu – 8.080

10ª Cascavel – 10.755

11ª Campo Mourão – 7.345

12ª Umuarama – 6.085

13ª Cianorte – 3.105

14ª Paranavaí – 5.765

15ª Maringá – 18.260

16ª Apucarana – 8.115

17ª Londrina – 21.320

18ª Cornélio Procópio – 5.380

19ª Jacarezinho – 6.365

20ª Toledo – 8.310

21ª Telêmaco Borba – 3.215

22ª Ivaiporã – 3.045

Total: 229.100

AstraZeneca/Fiocruz – D1

1ª Paranaguá – 3.380

2ª Metropolitana – 42.860

3ª Ponta Grossa – 7.415

4ª Irati – 1.760

5ª Guarapuava – 5.370

6ª União da Vitória – 2.065

7ª Pato Branco – 3.420

8ª Francisco Beltrão – 4.290

9ª Foz do Iguaçu – 5.455

10ª Cascavel – 9.470

11ª Campo Mourão – 4.525

12ª Umuarama – 3.490

13ª Cianorte – 1.880

14ª Paranavaí – 3.825

15ª Maringá – 11.540

16ª Apucarana – 4.730

17ª Londrina – 13.825

18ª Cornélio Procópio – 3.300

19ª Jacarezinho – 3.850

20ª Toledo – 4.750

21ª Telêmaco Borba – 2.025

22ª Ivaiporã – 1.775

Total: 145.000

(Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

Continuar Lendo
Click para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Paraná declara estado de epidemia de H3N2 e reforça importância da vacinação

Publicado

em

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, anunciou na manhã desta quarta-feira (12) que o Paraná está em estado de epidemia da gripe Influenza. O aumento no número de casos diários de H3N2 (um tipo do vírus Influenza A) e óbitos em decorrência da doença levaram a esta decisão.

A medida é necessária considerando a transmissão comunitária e a presença do vírus em 144 municípios do Estado. Agora, 832 casos – sendo 805 residentes no Paraná e 27 de fora do Estado – e 12 mortes estão confirmados. Os dados foram coletados até esta terça (11) por meio do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL).

“Este número de casos e óbitos é o registro que conseguimos da investigação epidemiológica após a detecção da doença pelas unidades sentinela, o que certamente não representa a realidade da doença no Estado. Temos estimativa que este número de confirmações seja pelo menos 20 vezes maior”, afirmou o secretário.

TRANSMISSÃO – A transmissão dos vírus da Influenza, em sua maioria, ocorre durante os períodos mais frios, no inverno. Agora, o Estado vive uma situação atípica de confirmações de casos durante o verão, aumentando consideravelmente a procura por atendimento médico em todas as regiões.

Segundo Beto Preto, a transmissão do vírus acelerou durante as festividades de fim de ano. “Tivemos um grande número de aglomerações familiares pelo Natal e Ano Novo, além de muitas pessoas no Litoral do Estado. Com isso, a transmissão da doença se intensificou. Precisamos continuar com os cuidados, com o uso de máscaras, álcool em gel, lavagem das mãos e distanciamento quando possível”, disse.

ÓBITOS – Os óbitos referem-se a seis mulheres e seis homens, com idades que variam de 44 a 83 anos. As mortes ocorreram entre 11 de dezembro de 2021 e 10 de janeiro de 2022. Onze tinham algum tipo de comorbidade e um caso segue em investigação. Seis não haviam tomado a vacina contra a Influenza e um permanece em investigação.

Os que faleceram eram moradores de Arapongas (1), Curitiba (2), Foz do Iguaçu (1), Londrina (2), Mandaguaçu (1), Maringá (1), Marumbi (1), Paranaguá (2) e Tapira (1).

VACINA – Mais de 616 mil doses de vacinas contra a Influenza estão nos municípios. Elas fazem parte da Campanha Nacional de Imunização Contra a Gripe de 2021 e têm validade importante nesse momento de surto de casos. Segundo os dados do vacinômetro nacional, o Paraná tem cerca de 70,40% de cobertura dentro dos grupos prioritários, com 2,1 milhões de doses aplicadas.

O Ministério da Saúde prevê para o início de abril o envio de uma nova vacina com a imunização para todos os vírus circulantes e já reconhecidos laboratorialmente.

“Onde tiver vacina, que ela seja aplicada porque ela protege contra a maioria dos vírus circulantes. Isso ajuda no diagnóstico diferencial das Síndromes Respiratórias. Contamos com a colaboração dos municípios para zerar essas doses existentes. Essa nova vacina já deve vir com a proteção contra a cepa Darwin da H3N2 e, nos próximos meses, devemos receber esse novo imunizante”, explicou o secretário.

EPIDEMIA – Epidemia é a manifestação coletiva de uma doença que rapidamente se espalha, por contágio direto ou indireto, até atingir um grande número de pessoas em um determinado território e se extingue após um período. Não havia registros de tantos casos neste período desde o início do monitoramento dos casos da Influenza A (H3) pela Sesa em 2016.

“Todos os esforços para conter o surto da doença estão sendo feitos, inclusive o envio para as Regionais de Saúde do antiviral para o tratamento, o fosfato de oseltamivir, conhecido como Tamiflu”, afirmou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes.

A Sesa descentralizou na última semana 460 mil cápsulas de Tamiflu e já protocolou um novo pedido junto ao Ministério da Saúde, de mais 100 mil unidades. O medicamento possui efetividade contra o agravamento do quadro clínico, diminuindo o risco de morte ou a gravidade dos sintomas no paciente.

“Se administrado em até 48 horas após a infecção pelo vírus, o medicamento possui grande efetividade no agravamento da doença e também na diminuição de internações”, acrescentou Beto Preto.

DADOS – Os dados divulgados nesta quarta foram extraídos são do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), alimentado pelos laboratórios de todo o Estado, tanto do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto da iniciativa privada.

As informações do boletim da Influenza e demais vírus respiratórios no Paraná, publicados no site da Secretaria, são levantadas através da Vigilância Sentinela de Síndrome Gripal (SG) e da Vigilância Universal dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) hospitalizados, e os óbitos por meio do sistema de informação oficial de notificações por SRAG, SIVEP Gripe.

A Vigilância Sentinela de SG é composta por uma rede de 34 serviços de saúde para atendimento, que estão distribuídos nas 22 Regionais de Saúde e 28 municípios no Estado. A Vigilância de SRAG monitora os casos hospitalizados e óbitos.

Ambas possuem o objetivo de identificar o comportamento dos vírus respiratórios, orientando os órgãos de saúde na tomada de decisão, frente à ocorrência de casos graves e surtos e auxiliando na escolha dos vírus que vão compor a próxima vacina da gripe a ser utilizada.

PRESENÇAS – Participaram da coletiva a superintendente executiva da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, Beatriz Battistella Nadas; o diretor-geral da Sesa, Nestor Werner Junior; o chefe de gabinete da Sesa, César Neves; a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Vera Rita da Maia; a coordenadora de Vigilância Sanitária do Paraná, Luciane Otaviano de Lima; a diretora-geral do Laboratório Central do Estado (Lacen/PR), Célia Fagundes Cruz; e a chefe da Divisão de Doenças Transmissíveis da Sesa, Rosana Piler. (Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

Continuar Lendo

Saúde

Novembro Azul de 2021 pretende aproximar homens das Unidades de Saúde

Publicado

em

Desde 2008 o mês de novembro é marcado por um maior movimento em prol da saúde do homem no País. O Novembro Azul foi criado com o objetivo de desenvolver ações que estimulem a população masculina a dedicar mais atenção à saúde e se conscientizar da importância da prevenção de doenças, com foco no câncer de próstata.

Nesse sentido, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) propõe como tema este ano: “Cuidar da saúde também é coisa de homem! Previna-se, cuide da sua família e procure a Unidade de Saúde mais próxima”.

A escolha vai ajudar no fortalecimento do acesso dos homens a Atenção Primária à Saúde (APS), mantendo a população masculina mais perto dos serviços em redes, cuidados rotineiros e consultas periódicas.

“Buscamos promover a melhoria das condições de saúde da população masculina no Paraná, e que a prevenção seja o primeiro caminho a ser escolhido. Estudos indicam que os homens têm menor número de consultas médicas por ano em comparação às mulheres e fazem menos uso de serviços de cuidado, por isso as ações não devem se restringir ao mês de novembro, mas sim ao longo de todo o ano”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Atualmente, a população masculina no Estado é estimada em 5,6 milhões de pessoas. Estima-se que entre 2020 e 2022 surjam 35.050 novos casos de câncer a cada ano. Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), os tipos mais frequentes entre os homens são de pele e de próstata.

“Precisamos atender os homens em suas dificuldades em cuidar da saúde, e evitar que tantos morram pela simples falta de informação. Muitas vezes, os homens com câncer de próstata procuram os serviços de saúde com a doença já em estágio avançado”, enfatizou.

ATENÇÃO À SAÚDE – Os programas da Atenção Primária do Estado do Paraná contemplam a população masculina em todas as faixas etárias, começando pelo calendário vacinal, nos primeiros meses de vida. Entre 11 e 14 anos, destaque para a vacina do HPV, que protege contra doenças infecciosas da pele e das mucosas atingindo principalmente a região genital, podendo se transformar em vários tipos de câncer.

Dos 15 aos 29 anos, a Sesa investe na prevenção de causas externas da mortalidade masculina, já que mais de 80% das causas de mortes de homens, nessa faixa etária, estão relacionadas a fatores como acidentes, violências e vícios. São exemplos os programas Tabagismo e Vida no Trânsito.

Há ainda os programas ofertados para a população em geral, com a prevenção e controle de doenças crônicas como obesidade, diabetes, hipertensão, cardiopatias e doenças transmissíveis, como Aids, hepatites e sífilis.

Em 2009, foi instituída, ainda, a Portaria nº 1944 no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Ela criou a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, visando promover a melhoria das condições de saúde a população masculina, a fim de reduzir a morbidade e mortalidade e organizar uma rede de atenção à saúde que garanta uma linha de cuidados integrais voltada para a população masculina.

NOVEMBRO AZUL – O movimento Novembro Azul teve origem em 1999, na Austrália, com um grupo de amigos que decidiram deixar o bigode crescer, a fim de chamar atenção para a saúde masculina. Ele chegou ao Brasil em 2008, trazido pelo Instituto Lado a Lado pela Vida e pela Sociedade Brasileira de Urologia.

Para chamar ainda mais a atenção para a causa, o dia 17 de novembro foi escolhido como Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata e muitas cidades iluminam os monumentos e prédios públicos na cor azul, assim como é feito durante a campanha do Outubro Rosa. (Arte: SESA/AEN)

Continuar Lendo

Saúde

Curitiba já aplicou mais de 3 milhões de doses da vacina contra a covid-19

Publicado

em

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba aplicou, até esta quinta-feira (29/10), mais de 3 milhões de doses da vacina contra a covid-19, entre primeira e segundas doses, doses de reforço e dose única.

Curitiba já utilizou 3.087.230 unidades do imunizante -1.479.121 primeiras doses, 1.263.039 segundas doses, 38.246 doses únicas e 90.742 doses de reforço.

A cidade tem 1.517.367 pessoas vacinadas com pelo menos uma dose – com a primeira dose ou a dose única (Janssen).

Assim, 77,9% dos curitibanos já receberam ao menos uma dose do imunizante e 66,8% da população da cidade está totalmente imunizada contra a covid-19, com as duas doesse ou a dose única.

Vacinados com 18 anos ou mais

Entre a população com 18 anos ou mais, 1.406.024 curitibanos receberam a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. Um total de 1.301.105 pessoas acima dos 18 anos já completou o esquema vacinal até esta quinta-feira (29/10). Destas, 1.262.859 pessoas receberam a segunda dose da vacina e outras 38.246 pessoas receberam a vacina em dose única.

Reforço

Curitiba também está aplicando as doses de reforço para quem já completou o ciclo de imunização, nos seguintes grupos: idosos de 70 anos, pessoas imunossuprimidas e profissionais de saúde. Até esta quinta-feira (29/10), 90.742 pessoas desses grupos receberam a dose de reforço.

Adolescentes de 12 a 17 anos

A SMS vacinou 73.097 adolescentes entre 12 e 17 anos. Destes, 180 já receberam também a segunda dose, sendo do grupo de gestantes abaixo de 18 anos.

Doses recebidas

Até o momento, Curitiba recebeu do Ministério da Saúde, repassadas pelo Governo do Paraná, 3.136.217 doses de vacinas, sendo 1.551.232 para primeira dose, 1.413.638 para segunda dose, 38.975 doses de aplicação única e 132.372 doses de reforço. Nesse montante já estão contabilizados os 5% de reserva técnica.

A reserva técnica é uma medida de segurança, faz parte dos protocolos da logística e é necessária para evitar problemas no fluxo de imunização que possam ser causados por imprevistos eventuais, por exemplo, quebra acidental de frascos.

O município tem capacidade para vacinar até 30 mil pessoas por dia e o avanço do cronograma de imunização ocorre à medida que as doses são enviadas pelo Ministério da Saúde ao governo estadual, responsável por distribuir os lotes do imunizante aos municípios.

Confira detalhes da vacinação contra a covid-19 no Painel Covid-19 Curitiba.

(Foto: Ricardo Marajó/SMCS)

Continuar Lendo

Tendência