Segurança

Polícia Rodoviária intensifica fiscalização nas estradas estaduais durante o feriado

Publicado

em

Os 54 Postos do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) contarão com mais efetivo para intensificar abordagens e testes etilométricos durante o feriado prolongado de Corpus Christi em todas as rodovias estaduais do Paraná. O trabalho visa prevenir acidentes e flagrar motoristas embriagados, que potencializam possibilidade de acidentes com feridos e mortos.

Durante as abordagens serão feitas orientações sobre as restrições estabelecidas no decreto estadual que trata de medidas de combate à pandemia. O principal objetivo da operação é evitar acidentes de trânsito para auxiliar o sistema de saúde, que está sobrecarregado por conta do aumento de pacientes com Covid-19.

Segundo o comandante do BPRv, tenente-coronel Welleton Joserli Selmer, a orientação é que as pessoas sejam mais conscientes e evitem viajar durante o feriado, colaborando com as medidas de enfrentamento à pandemia.

“Desde o dia 28 de maio estamos promovendo uma série de operações nos 54 Postos Rodoviários do BPRv. O trabalho é focado na utilização de etilômetros aos condutores de veículos para coibir a embriaguez ao volante, além de uso de radares móveis para flagrar excesso de velocidade, duas infrações frequentemente cometidas e que podem causar acidentes graves. As abordagens também visam combater infrações e crimes que operam nas rodovias, como o tráfico de drogas”, disse.

Os efetivos operacional e administrativo do batalhão serão direcionados para aumentar a presença da Polícia Militar nas rodovias estaduais, intensificando abordagens a veículos, vistorias e operações com radares móveis. “Vamos aplicar o máximo do efetivo da Capital e Interior. O efetivo da sede do BPRv estará nos Postos Rodoviários do Litoral, por exemplo”, disse o tenente-coronel Selmer.

O planejamento prevê, ainda, abordagens a postos de combustíveis e pontos comerciais às margens das rodovias estaduais para coibir aglomerações e também fazer testes de alcoolemia. “Sabemos que alguns condutores utilizam esses estabelecimentos para adquirir e consumir bebidas alcoólicas antes de dirigir. Por isso, faremos abordagens para evitar que essas pessoas, se estiverem embriagadas, assumam a direção e causem acidentes”, detalhou.

Nas abordagens também será usado o etilômetro passivo, em que o motorista não tem contato físico com o dispositivo para constatar a presença de álcool. “Se o teste for positivo, o condutor fará outro exame com o etilômetro profissional. Caso haja confirmação, ele receberá a notificação por embriaguez ao volante ou o encaminhamento à delegacia, dependendo da quantidade de álcool por litro de ar constatada”, emendou.

AUTUAÇÕES  Segundo o tenente-coronel Selmer, de sexta-feira (28 de maio) até esta terça-feira (01/06), 59 pessoas foram autuadas por embriaguez ao volante nas estradas estaduais durante as fiscalizações. “Isso quer dizer que a Polícia Rodoviária retirou de circulação 59 pessoas potenciais causadoras de acidentes. Vamos continuar com esse trabalho durante e depois do feriado, prevenindo os acidentes”, acrescentou. (AEN/Foto:Soldado Adilson Voinaski Afonso)

Notícias

Governador e ministro Moro definem ações de segurança na fronteira

Publicado

em

O Paraná será o primeiro estado brasileiro a receber um centro de integração para cuidar da segurança de fronteira. O acordo foi firmado durante encontro do governador Carlos Massa Ratinho Junior e o ministro da Justiça, Sérgio Moro, nesta terça-feira (26), em Brasília.

A implantação do projeto-piloto proposto pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública envolve a criação de um grupo de trabalho de órgãos estaduais e federais. “É um projeto que interessa bastante ao Paraná, que já vem fazendo um trabalho de integração e inteligência entre as forças de segurança”, afirmou o governador. “É muito importante que ele comece por Foz do Iguaçu, que faz fronteira com dois países e é porta de entrada para coisas boas e ruins”.

Governo do Estado, Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Polícia Federal, Receita Federal e Polícia Rodoviária Federal, entre outros órgãos, irão trabalhar juntos para definir as ações de segurança na área e as estratégias do centro para coibir crimes como tráfico de drogas e contrabando.

O ministro Sérgio Moro estabeleceu um prazo de 45 dias para definir o cronograma e os planos de ação, além da seleção dos órgãos e agentes que irão compor o centro de integração. “O nosso objetivo é que o projeto aconteça o quanto antes. Vamos fazer este projeto-piloto no Paraná, para ver o que vai ou não funcionar, e estender essa experiência para outros estados no decorrer da gestão”, explicou o ministro.

O Paraná tem 450 quilômetros de fronteira seca e aquática com o Paraguai e a Argentina, além de fazer divisa com os estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. No Brasil, são 17 mil quilômetros de limite terrestre com nove países.

FÓRUM DE GOVERNADORES – Ratinho Junior esteve em Brasília para uma reunião extraordinária do Fórum de Governadores, com a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes. No encontro foram discutidas as questões financeiras dos estados e a tramitação da reforma da previdência no Congresso Nacional.

“A reforma previdência é muito importante para o País, vai dar um salto na economia brasileira e na geração de empregos assim que aprovada”, afirmou Ratinho Junior. “Ela também colabora automaticamente com a saúde financeira dos estados, dando um alívio no caixa para que possamos investir mais”, ressaltou.

PRESENÇAS – Os secretários de Estado da Segurança Pública, Luiz Felipe Carbonell; e do Planejamento, Valdemar Bernardo Jorge, também acompanharam as reuniões. (Foto: Rodrigo Félix Leal/ANPr)

Continuar Lendo

Segurança

10 mil policiais militares atuarão na segurança do segundo turno

Publicado

em

A Polícia Militar do Paraná divulgou nesta sexta-feira (26) o esquema de segurança para o segundo turno das eleições de 2018, neste domingo (28). Haverá mais de 10 mil policiais e 1,7 mil viaturas atuando em todo o Paraná. O esquema de segurança divulgado em coletiva à imprensa no quartel do Comando-Geral, em Curitiba.

A operação começa com a intensificação de policiamento no sábado (27), nas proximidades dos locais de votação e locais estratégicos dos municípios. O policiamento busca garantir o direito ao voto e preservar a ordem e os direitos constitucionais nos 4.790 locais de votação e das 26.119 seções eleitorais do Estado.

“Queremos que as pessoas possam votar com tranquilidade e segurança. Nosso papel é garantir a ordem e a pacificidade, evitando qualquer ato que impeça o pleno exercício de cidadania e democracia”, afirmou o chefe do Estado-Maior da PM, coronel Antônio Zanatta. “Aplicaremos ao máximo nosso efetivo e viaturas em todo o Paraná, interagindo com outros órgãos de segurança pública”, explicou.

PREVENÇÃO – Segundo o coronel, a atuação da PM, junto com o Corpo de Bombeiros, será pautada pela ostensividade e inteligência, a fim de prevenir crimes e delitos eleitorais, como a arregimentação de voto (boca de urna), derramamento de santinhos e propaganda eleitoral irregular.

O trabalho terá policiamento a pé e motorizado nos locais de votação, pontos estratégicos das cidades e locais de risco. Somente na Capital serão aplicadas 500 viaturas.

As ações serão coordenadas por meio dos seis Comandos Regionais de Polícia Militar, estabelecidos em todo o estado, que adequarão o policiamento de todos os batalhões de acordo com a realidade de segurança de cada região.

A PM contará com a atuação das Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam), Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam), do Serviço Velado das unidades da Corporação. Unidades especializadas também estão inclusas na operação, prestando apoio aos batalhões e companhias Independentes nas situações em que houver necessidade.

ATUAÇÃO – A atuação da Polícia Militar será coordenada pelos respectivos Comandos Regionais de Polícia Militar. Desde esta sexta-feira (26) o Batalhão de Operações Especiais (Bope) fará o policiamento permanente no Fórum Eleitoral e também com um efetivo reserva para aplicação quando houver necessidade.

O Corpo de Bombeiros também prestará apoio com ambulâncias e veículos para combate a incêndio, ocorrências de emergência e, caso haja necessidade, atuação em ações de defesa civil em todo o Paraná.

O Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) também empregará aeronaves no patrulhamento. A Polícia Militar atuará em parceria com as Guardas Municipais, com a Polícia Civil, com a Polícia Federal e com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Equipes policiais atuarão também no acompanhamento da distribuição das urnas eletrônicas aos locais de votação e, após o pleito, reforçará a presença durante o recolhimento das urnas. A PM também prestará assessoria militar ao presidente e ao vice-presidente do TRE, aos demais juízes da Corte e ao juiz eleitoral da capital.

ENCAMINHAMENTOS – De acordo com o artigo 236 do Código Eleitoral (Lei nº 4.737), a partir de terça-feira (23/10) e até 48 horas depois do encerramento da votação, nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, salvo em situação de flagrante delito ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou, ainda, por desrespeito a salvo-conduto (medidas cautelares da justiça). A atuação da Polícia Militar será voltada no apoio à Justiça Eleitoral para a fiscalização de condutas e fazer os encaminhamentos necessários quando houver flagrante delito.

Em Curitiba, as pessoas flagradas em crimes eleitorais serão levadas ao Fórum Eleitoral para os procedimentos de lavratura do Termo Circunstanciado. No pleito de 2018 esta competência será da 176ª Zona Eleitoral. Os adolescentes envolvidos em atos infracionais serão encaminhados à Delegacia do Adolescente (DA). Nas outras cidades, os detidos serão encaminhados aos locais conforme os acordos já feitos pelos cartórios eleitorais, respeitando as peculiaridades de cada região.

PROIBIÇÃO – As equipes policiais atuarão para prevenir as propagandas proibidas. De acordo com a orientação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no dia da votação é proibido a concentração de pessoas com bandeiras, broches, dísticos, adesivos e camisetas padronizadas (algo que indique uma manifestação coletiva), com ou sem veículos. Esses materiais poderão ser usados pelos eleitores desde que individualmente, sem atos que caracterizem boca de urna.

É proibido boca de urna, divulgação ou propaganda de partidos políticos e uso de alto-falantes e amplificadores de som a partir das 22 horas de sábado. (ANPr)

Foto: Soldado Amanda Morais

Continuar Lendo

Segurança

Comércio ilegal de armas e munições na mira do Exército Brasileiro nos estados do Paraná e Santa Catarina

Publicado

em

O Exército Brasileiro, por meio do Sistema de Fiscalização de Produtos Controlados (SisFPC), tem realizado grandes operações para evitar a proliferação do comércio ilegal de armas e munições no país. A próxima operação, nominada ‘Alta Pressão V’, que ocorrerá a partir do dia 21 de novembro, tem como objetivo geral a intensificação das medidas de fiscalização no comércio de armas e munições. A ação acontece, simultaneamente, em todo o território nacional.

No âmbito da 5ª Região Militar (5ª RM), responsável pelos estados do Paraná e Santa Catarina, foram apreendidas na última operação, realizada no primeiro semestre de 2017, cerca de 1130 munições, 17 armas e oito lunetas de uso restrito. Ao todo, 22 empresas foram autuadas por irregularidades administrativas no o trato com Produtos Controlados pelo Exército.

A Operação Alta Pressão V, bem como as demais voltadas para Produtos Controlados pelo Exército (PCE), visa, entre outros objetivos, a reduzir desvios de armas e munições que poderiam prover o comercio ilegal no Brasil, promovendo impacto direto na segurança pública nacional.

De acordo com os dados do Centro de Operações de Produtos Controlados (COPCON/DFPC), responsável pelo monitoramento permanente das operações desencadeadas pelo SisFPC, com capilaridade em todo o território nacional, na última operação do mesmo gênero (Alta Pressão IV), ocorrida em julho deste ano, mais de 600 empresas foram fiscalizadas, resultando na autuação de 56 empresas cadastradas junto ao Exército e no emprego de mais de 1.400 militares e agentes. Mais de 93 mil quilômetros foram percorridos, 251 viaturas foram empregadas.

Todas as atividades ocorrerão de forma simultânea, em um ambiente interagências, contando com o apoio integrado de Organizações Militares, Órgãos de Segurança e Ordem Pública (OSOP) – tais como as Polícias Militar, Federal, Rodoviária Federal e Civil- e agências de fiscalização fazendária, nos níveis federal, estadual e municipal, desdobradas nas áreas de responsabilidade das doze Regiões Militares (RM). A previsão inicial é a de verificar mais de 500 instalações, por meio do emprego do efetivo aproximado de 1100 militares e 170 equipes interagências de fiscalização. (Foto: Divulgação)

 

Continuar Lendo

Tendência