Jogos

Confiança do comércio avança 10,5 pontos, em quarta alta consecutiva

Publicado

em

O Índice de Confiança do Comércio, da Fundação Getulio Vargas (FGV), cresceu 10,5 pontos de julho para agosto deste ano. Essa foi a quarta alta consecutiva do indicador, que chegou a 96,6 pontos, em uma escala de zero a 200, e recuperou 92% da confiança perdida durante a pandemia de covid-19.

A confiança subiu nos seis principais segmentos do comércio pesquisados pela FGV. Houve altas tanto no Índice da Situação Atual, que mostra a avaliação do empresário do setor no momento presente e que subiu 13,6 pontos (para 102 pontos), quanto no Índice de Expectativas, que mostra a confiança no futuro e que cresceu 6,8 pontos (para 91,3 pontos).

“A confiança do comércio mantém a tendência de recuperação, com expressiva alta em agosto. Apesar dos resultados positivos, a velocidade da recuperação não tem sido homogênea entre os segmentos. Os consumidores estão se mostrando cautelosos e a incerteza se mantém elevada, dificultando a elaboração de cenários mais claros da tendência da confiança nos próximos meses“, diz o pesquisador da FGV Rodolpho Tobler. (Agência Brasil)

Jogos

Bairros redescobrem as praças e população ganha novos espaços de lazer em Quatro Barras

Publicado

em

Áreas verdes, de lazer, esporte e convivência são sinônimos de qualidade de vida. Com a meta de ampliar estes espaços para a população, a Prefeitura de Quatro Barras vem investindo na construção de novas praças públicas, parques e áreas recreativas.

Hoje cinco frentes de trabalho acontecem seguindo esta política de investimentos em bem-estar, saúde e recreação. Uma delas segue em andamento na Colônia Maria José, que receberá uma nova praça. Iniciadas em junho, as obras compreendem o recape asfáltico das duas ruas no entorno (Angelina Áfera Milani e José Egídio de Assis), totalizando 1.136 metros quadrados; além da revitalização de calçadas, instalação de academia ao ar livre, quadra poliesportiva, playground esinalização de trânsito.

O novo espaço de lazer está recebendo investimentos de quase R$ 364 mil, provenientes de uma emenda parlamentar do então senador Roberto Requião. Assim como os moradores da Colônia Maria José, quem habita o bairro vizinho, o Jardim Menino Deus, também terá em breve um amplo e novo espaço de lazer e convivência.

O Parque Ambiental do Jardim Menino Deus teve as obras iniciadas no começo de abril. Lá estão previstas a urbanização do entorno, pista de training, academia ao ar livre, quadra poliesportiva, praça com bancos, playground, além de importantes obras de contenção das cheias. Para evitar as enchentes que ocorriam na região, o parque ambiental terá lagoas de contenção das cheias e canalização do córrego, além de galerias de águas pluviais.

Os investimentos nesta obra somam mais de R$ 1,3 milhão e são provenientes de uma operação de crédito com a Caixa Econômica Federal, através do Finisa. O Parque do Menino Deus, portanto, terá funções conjuntas de lazer, esporte, convivência social, preservação ambiental e controle das cheias nos períodos de fortes chuvas.

Uma nova praça também já começa a ser construída no Orestes Thá. Localizada na parte central do bairro, o espaço terá campo de futebol e equipamentos de esporte e lazer para moradores de todas as idades.

No bairro Itapira, outras duas frentes de trabalho acontecem nas praças, com a revitalização de seus espaços e equipamentos. Uma das praças recebe benfeitorias na área de parquinho e nas áreas de convivência, além de ganhar uma academia ao ar livre, playground e churrasqueiras, similar a um parque recreativo. A outra praça, também em revitalização, vai receber quadra poliesportiva, playground e um posto de atendimento da Guarda Municipal.

Em breve, o próximo bairro contemplado será a Granja das Acácias, que também terá uma nova praça. Lá estão previstas a instalação do Projeto Meu Campinho (com quadra de grama sintética), quiosques, playground e áreas de convivência e lazer. Somados, os investimentos em revitalizações e novas praças somam mais de R$ 350 mil, com recursos municipais.

O prefeito Angelo Andreatta (Lara), disse que a proposta das obras é levar qualidade de vida, contato com a natureza e opções de lazer à população. “Estamos revitalizando espaços já existentes e principalmente criando novas praças e parques em regiões ainda não atendidas por estes espaços de convivência e lazer. São áreas voltadas à família e à qualidade de vida da nossa população”, afirmou o prefeito.

 

Continuar Lendo

Jogos

Confiança da indústria cresce 12,2 pontos em julho, diz FGV

Publicado

em

O Índice de Confiança da Indústria medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV) cresceu 12,2 pontos em julho, alcançado 89,8 pontos, a segunda maior variação positiva da série histórica.

Em julho, 18 dos 19 segmentos industriais pesquisados tiveram aumento da confiança. Segundo a FGV, o resultado decorre de melhor avaliação dos empresários em relação ao momento presente e, principalmente, diminuição do pessimismo para os próximos três e seis meses.

O Índice de Expectativas (IE) subiu 14,3 pontos, para 90,5 pontos enquanto o Índice de Situação Atual (ISA) cresceu 9,9 pontos, para 89,1 pontos. Ambos, entretanto, ainda se mantêm em nível abaixo de março. Nos últimos três meses, o IE recuperou aproximadamente 78% das perdas observadas em março e abril, enquanto o ISA, atingiu 65%.

Segundo a economista da FGV-IBRE, Renata de Mello Franco, em julho, a confiança da indústria de transformação continuou avançando impulsionada pela diminuição do pessimismo para os próximos três meses. Ela observou que os indicadores que medem a situação atual mostram que o grau de insatisfação com o momento presente permanece elevado.

“Nesse mês, chama a atenção a recuperação dos indicadores de produção prevista e emprego previsto sugerindo novamente que, na opinião dos empresários, o terceiro trimestre tende a ser melhor do que o anterior. O baixo patamar do indicador de tendência dos negócios reflete cautela em relação à velocidade e consistência da recuperação dada incerteza ainda muito elevada”, disse, em nota, a economista. (Agência Brasil)

Continuar Lendo

Jogos

Em bandeira laranja, Curitiba atualiza regras para covid-19

Publicado

em

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) adota novas regras para amparar as atividades no município durante a pandemia do novo coronavírus.

Decreto 940, com validade a partir de sua publicação nesta terça-feira (21/7), atualiza o funcionamento para o comércio e outras atividades na capital.

O novo decreto traz restrições de horários para funcionamento de alguns ramos e atividades com maior potencial de contaminação seguem suspensas.

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, destaca que se trata de uma proposta que disciplina as atividades, tomando os cuidados necessários para evitar a transmissão da covid-19.

“A efetividade das ações, no entanto, depende muito da colaboração de todos. Temos de fazer parte de um pacto de responsabilidade, entre município, empresários e a sociedade.”

Os critérios para a tomada das medidas são: evitar aglomerações e  restringir acúmulo de circulação (incluindo nos horários de pico do transporte coletivo).

Curitiba continua, desde 13 de junho, na bandeira laranja, o que indica nível de alerta médio para o novo coronavírus. O novo decreto revoga o 810, que vigorou desde junho, tendo sido suspenso durante a vigência do Decreto Estadual 4942, expirada em 14/7.

Regras

Todas as atividades na cidade precisam cumprir as determinações de distanciamento social, uso de álcool em gel, entre outras medidas contidas na Resolução 1/20.

A análise do impacto do vírus na capital é diária, sendo que as medidas são adotadas de acordo com o cenário da cidade. (Veja aqui como funciona o sistema de bandeiras.)

Segundo a secretária, caso seja necessário, o município vai aplicar medidas mais restritivas.

Huçulak lembra que desde o registro dos primeiros casos em Curitiba, em 11 de março, a Saúde trabalha com o cenário de que a curva de transmissão subiria na capital durante o inverno.

Confira as novas medidas

FICAM SUSPENSAS AS SEGUINTES ATIVIDADES:

Atividades de entretenimento com ou sem música (tais como casas de show, festas, teatros, circo e atividades correlatas), eventuais ou periódicas, bem como estabelecimentos destinados eventos sociais e atividades correlatas, além do voltados a feiras técnicas ou de varejo, mostras comerciais, congressos, convenções e outros.

Bares e atividades correlatas

Parques e praças esportivas

Atividades físicas aquáticas e práticas esportivas coletivas

Clubes sociais e esportivos, podendo manter o funcionamento das atividades permitidas nos estabelecimentos de rua (como lanchonetes e restaurantes, academias e salões de beleza), dentro das regras de cada área (veja mais a seguir).

FUNCIONAMENTO COM RESTRIÇÕES:

Comércio de rua não essencial: atendimento ao público entre 10h e 18h, de segunda a sexta-feira, com proibição de funcionamento aos sábados e domingo permitido apenas para a modalidade delivery.

Shopping centers: podem funcionar de segunda a sexta-feira, entre 12h e 20h, devendo permanecer fechados nos fins de semana. Os serviços de alimentação que funcionem nesses locais poderão operar nos fins de semana apenas na modalidade delivery, sem restrição de horário; drive-thru e retirada em balcão estão vetados nesses estabelecimentos

Galerias e centros comerciais: das 10h às 18h, de segunda a sexta-feira, com proibição de funcionamento aos sábados e domingos. Os serviços de alimentação que funcionem nesses locais poderão operar nos fins-de-semana apenas na modalidade delivery, sem restrição de horário.

Restaurantes e lanchonetes: até às 22h, de segunda a sábado. Após esse horário e aos domingos, podem funcionar apenas na modalidade delivery e drive-thru.

Mercados, supermercados e hipermercados: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário. Aos domingos, não podem funcionar em nenhuma modalidade de atendimento.

Panificadoras e padarias: de segunda a sábado até às 22 horas. Aos domingos, das 7h às 18h, sem consumo no local.

Comércio de produtos e alimentos para animais: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário, sendo no domingo permitido atendimento de delivery e drive-thru.

Feiras livres: de segunda a sexta-feira, sem restrição de horário, com proibição aos sábados e domingos.

Comércio varejista de hortifrutis, quitandas, mercearias, distribuidoras de bebidas, peixarias e açougues: de segunda-feira a sábado, com proibição de funcionamento aos domingos.

Serviços não essenciais: funcionamento de segunda a sábado, sem restrição de horário, com proibição de funcionamento aos domingos. Enquadram-se neste item serviços como: escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, atividades de estética, academias de ginástica, serviços de banho e tosa de animais.

Lojas de material de construção (serviço essencial): funcionamento de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário. Aos domingos, podem funcionar nas modalidades delivery e drive-thru.

Concessionárias de veículos em geral: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário, com proibição de funcionamento aos domingos.

O horário de entrada dos trabalhadores dos estabelecimentos comerciais deverá ser compatível com o horário de abertura do estabelecimento.

No caso de estabelecimentos que atuem em mais de um setor (por exemplo: mercado que contém padaria), vale a regra para aquilo que é sua atividade principal.

Para as atividades religiosas, deve ser observada a Resolução n. 734/20 da Secretaria Estadual da Saúde.

DEVEM OPERAR COM NO MÁXIMO DE 50% DE SUA CAPACIDADE:

Hotéis, resorts, pousadas e hostels.

Callcenter e telemarketing: a partir das 9h (exceto os vinculados a serviços de saúde ou home-office, que podem funcionar com capacidade normal).

Outras medidas

O transporte coletivo da capital deve continuar funcionando com lotação máxima de 50% da capacidade de cada veículo.

O decreto não se aplica:  às atividades produtivas pela internet, correio e televendas que possuam licenciamento vigente nem aos serviços e atividades de drive-in (regidos pelo decreto 739).

Os procedimentos cirúrgicos eletivos ambulatoriais e hospitalares (portanto, não urgentes) ficam suspensos, a fim de otimizar a ocupação dos leitos hospitalares e a utilização dos estoques de medicamentos. A suspensão não se aplica a procedimentos de cardiologia, oftalmologia, oncologia, nefrologia e a exames considerados urgentes pelo médico prescritor.

As medidas previstas no decreto não poderão afetar o exercício e funcionamento dos serviços e atividades essenciais (estabelecidos no Decreto 470).

Sanções

O descumprimento do estabelecido no decreto pode ser punido como infração sanitária, infração ao Código de Posturas, com penalidades que variam de multa (de R$ 232 até R$ 8.336) a cassação de alvará. Também podem ser passíveis de sanções de natureza civil ou penal.

A fiscalização cabe aos órgãos responsáveis da estrutura municipal, como a Vigilância Sanitária, fiscais ambientais e de posturas e edificações, além da Guarda Municipal.

O retorno gradativo das atividades e os critérios para seu funcionamento ficarão condicionados aos indicados epidemiológicos do município.

(Fonte: ACPMC)

Foto: Valdir Lentcsh/Face da Notícia

Continuar Lendo

Tendência